Terra – MG: preso diz ter roubado 9 mulheres antes de matar internauta.

Janinha foi encontrada morta após se encontrar com um homem que conheceu pela internet

Ney Rubens
Direto de Belo Horizonte

O homem que confessou ter matado uma mulher que conheceu em um site de relacionamentos, a secretária Janinha Pereira de Freitas, 37 anos, em Montes Claros (MG), disse nesta quinta-feira à polícia que encontrou e roubou nove mulheres com as quais fez contato pela web. “Eu começava a conversar com elas pela internet e marcava o encontro. A gente começava a se relacionar e, na primeira oportunidade, eu roubava elas”, disse.

Danilo Ederson Fernandes, 28 anos, foi preso em uma lan house no centro de São Paulo, na quarta-feira, e levado a Minas. Janinha foi encontrada morta com sinais de estrangulamento na manhã do dia 14 de fevereiro, um dia depois do encontro com o suspeito. A investigação quer saber ainda se ela foi estuprada.

Segundo a polícia, o suspeito não tem residência fixa e morava em pensões no centro da capital paulista. Seus objetos pessoais eram deixados no setor de guarda-volumes de uma rodoviária de São Paulo, onde a polícia encontrou a impressora levada da casa da secretária mineira.

Fernandes disse que suas vítimas eram mulheres de várias regiões do País e que a secretária foi a primeira que matou. “Encontrei com nove mulheres, mas eu só as roubava. Ela (Janinha) foi a primeira que matei. As outras eu somente roubei”, afirmou. O suspeito disse ainda ter matado a secretária com um fio de telefone.

Ontem, Danilo foi localizado no estabelecimento que costumava frequentar para conversar com as vítimas. Segundo a delegada Karla Silveira, ao fugir da casa da mineira, “ele deixou cair um cartão de visitas desta lan house”. Ao ser preso, o suspeito não reagiu e também não teria demonstrado surpresa com a presença dos policiais. No momento da prisão, ele estaria navegando em sites de relacionamentos em busca de novas vítimas.

Segundo a polícia, pelo menos duas moradoras de diferentes cidades mineiras reconheceram o suspeito após a divulgação de sua identidade. Conforme o delegado José Messias Tales Alves, titular da regional de Montes Claros, o suspeito se apresentava às vítimas como designer de estampas de camisetas e utilizava seu nome verdadeiro no site.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *