Tebas O Escravo Arquiteto
News,

Tebas o Escravo Arquiteto – Conheça sua história!

Tebas o escravo arquiteto marcou história quando falamos sobre coragem e arquitetura da história brasileira. Viveu entre os séculos XVIII e XIV, marcando seu nome nos desenhos e obras da era Brasil Colônia.

Quer saber mais sobre a vida de Tebas Arquiteto? Então leia conosco!

Quem foi Tebas Arquiteto?

Quem Foi Tebas, O Escravo Arquiteto
Quem foi Tebas, o escravo arquiteto

Tebas Arquiteto foi um dos maiores construtores brasileiros do século XVIII, que ficou marcado por sua história de liberdade na vida e também de expressão, através de suas obras físicas.

Seu apelido vem de sua função como escravo, antes de conquistar sua alforria em 1777, mas sobre isso falaremos um pouco mais a seguir. Leia conosco e entenda melhor sobre a história de vida de Tebas Arquiteto.

Biografia de vida

Mas afinal, quem foi Tebas Arquiteto?

Apesar do codinome, seu nome real era João Pinto de Oliveira, também conhecido como Tebas, e, posteriormente, Tebas Arquiteto.

O seu nome vem da contribuição pra arquitetura e construção na era do Brasil Colônia. Sua data de nascimento é incerta, sabe-se apenas o ano, sendo nascido já escravizado no ano de 1721 na vila de Santos, em São Paulo.

Seu “proprietário” era Bento de Oliveira Lima, um mestre pedreiro de nacionalidade portuguesa, casado com Antonia Maria Pinta. Acredita-se que o sobrenome de João Pinto de Oliveira tenha sido herdado da esposa de seu “proprietário”, já que nasceu escravizado, sendo filho de sangue de Clara Pinta de Araújo.

Em algum momento de sua vida Tebas o escravo arquiteto foi levado para São Paulo, junto de seus “donos”, ou seja, pessoas brancas que possuíam a sua propriedade por lei, na época.

Tebas Arquiteto era mestre de cantaria desde quando ainda escravo, assim, parte de seu trabalho era o de talhar blocos de rocha bruta para a construção de edifícios.

Isso o tornou fundamental na modernização de uma São Paulo construída basicamente com taipa, técnica ancestral de utilizar barro para moldar edificações, mas com limitações de estilo e arquitetura.

Tebas trabalhou principalmente para as diversas ordens religiosas da capital paulista, como:

  • Beneditinos;
  • Carmelitas;
  • Católicos;
  • e Franciscanos.

Trabalhava em ornamentação de igrejas, como o Mosteiro de São Bento e a antiga Catedral da Sé (1778).

Alforria de Tebas Arquiteto

Mas, e quando aconteceu sua mudança de vida? Como você deve saber, Tebas Arquiteto terminou sua vida livre da escravidão, e assim conforme mencionamos um pouco anteriormente, esse momento chegou por volta de 1777 e 17778.

Alguns livros destoam entre anos próximos, mas o que se acredita é que Tebas Arquiteto tenha conseguido sua liberdade por volta dos 58 anos de idade.

Os mesmos livros mencionam que Tebas conseguiu sua liberdade logo após entrar na justiça contra a viúva de seu proprietário que então já estava morto. Porém, outros relatos contam que naquela época ele já tinha liberdade de trabalho, assinando seus próprios contartos e recebendo por si próprio.

Dessa forma, sua carta de alforria acabara sendo mais simbólica do que funcional em sua vida. Mas, é indiscutível que Tebas o escravo arquiteto perdeu mais da metade de sua vida trabalhando de maneira forçada para seus “donos” por lei.

Outra fonte diz que a alforria estava juramentada no testamento de Bento de Oliveira Lima.

Morte e reconhecimento de Tebas o escravo arquiteto

Morte E Reconhecimento De Tebas O Escravo Arquiteto
Morte e reconhecimento de Tebas o escravo arquiteto

Na próximo tópico, quando falarmos sobre as obras de Tebas Arquiteto, você entenderá os motivos, mas o que já podemos afirmar é que Tebas o escravo arquiteto caiu no esquecimento, sendo muito importante na história arquitetônica brasileira, mesmo que trabalhando em uma época onde os materiais utilizados já não são mais vistos como essenciais em construções.

Tebas foi uma das pessoas mais marcantes da história arquitetônica do Brasil Colônia. Morreu de grangena, possivelmente devido a algum acidente de trabalho, aos 90 anos de idade, na capital paulista no dia 11 de janeiro de 1811, sendo sepultado na Igreja de São Gonçalo.

Conforme mencionado, seu reconhecimento aconteceu de forma bem tardia, apesar de que seu nome nunca deixou de ser tocado nesses mais de 200 anos após a sua morte.

É importante ressaltar que Tebas não era uma exceção. Os africanos transplantados para as Américas trouxeram consigo muitos conhecimentos, principalmente sobre o trabalho com pedras e metais. Ele é mais um personagem que nos oferece pistas que dignificam esse segmento da população esquecida. Trecho tirado do livro “Tebas: um negro arquiteto na São Paulo escravocrata”, de Abílio Ferreira.

Em 10 de setembro de 2020, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou a construção de uma estátua em homenagem a Tebas, no centro da cidade, por seu influente trabalho na arquitetura da capital paulista.

Obras de Tebas Arquiteto

Igreja Das Chagas Do Seráfico Pai São Francisco
Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco

Um de seus trabalhos mais importantes, o Chafariz da Misericórdia, erguido no que é hoje a rua Direita, no centro da capital, foi demolido em 1866.

Trata-se do primeiro chafariz público da cidade, construído quando Tebas já era alforriado e contava com sistema hídrico que canalizava as águas do ribeirão Anhangabaú. Era ali que escravizados se reuniam para buscar água e abastecer as casas de seus senhores.

Embora tenha tido seu talento reconhecido em vida, sua história caiu no esquecimento, sendo resgatada pelas faculdades de arquitetura.

Obras como as fachadas da Igreja da Ordem 3ª do Carmo e da Igreja das Chagas do Seráfico Pai São Francisco, ambas no centro da capital, resistem ao tempo e continuam de pé.

E então, o que achou de conhecer ainda melhor sobre a história de vida de Tebas Arquiteto? Ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje? Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!