Em Osório RS – PM teria planejado morte de Tairone Silva.

Escândalos,

Em Osório RS – PM teria planejado morte de Tairone Silva.

Uma ameaça no dia anterior e relatos de testemunhas reforçam a hipótese de que o boxeador Tairone da Silva, 17 anos, foi vítima de um assassinato premeditado, conforme investiga a Polícia Civil. Revelação entre lutadores no Brasil, o jovem campeão foi morto na sexta-feira a tiros de pistola, causando revolta e perplexidade em Osório, no Litoral Norte. O soldado da Brigada Militar Alexandre Camargo Abe, 29 anos, admitiu o crime.

As circunstâncias do assassinato, na tarde de sexta-feira, ainda são nebulosas. Preso preventivamente em um quartel do Litoral Norte, o assassino confesso afirma que agiu em legítima defesa ao se engalfinhar com o pugilista por causa de uma rixa que teria se iniciado semanas atrás. Segundo o advogado, Nestor Pires, defensor do PM, o soldado teria advertido jovens que frequentavam uma casa abandonada, e Tairone, amigo do grupo, teria ficado insatisfeito. Desde então, quando encontrava o PM, o boxeador faria provocações, conforme o defensor.

A mãe, a agente de saúde Cláudia Silva, diz que o filho nem sequer conhecia o policial antes da semana da morte. Parentes e amigos negam desavenças.

— Tímido, nem levantava a cabeça quando passava pelas pessoas na rua — diz o músico Giovani Fraga, 33 anos.

Os desmentidos ao relato do policial também são feitos por testemunhas do crime. Localizado por Zero Hora, um homem que pediu anonimato afirma que Tairone foi atacado pelas costas instantes depois de passar na frente da casa do PM — os dois moravam a duas quadras um do outro, na Rua Farrapos. A mulher do PM se mudou, e a residência está à venda.

Segundo o treinador de boxe de Tairone, Anildo Pereira, um desentendimento no dia anterior teria sido o prenúncio do crime. O técnico afirma que o PM ameaçou matar Tairone, quando os dois se cruzaram na mesma rua.

— O que tu tá olhando? Tu não vai ser campeão de mais nada porque vou te matar — teria dito o PM.

— Eu não te fiz nada, nem te conheço. Mas, se quiser, pode me matar — teria respondido o boxeador.

Em seguida, conforme o relato do técnico, o PM teria apontado a pistola para a boca de Tairone, que voltou para casa chorando. A polícia apura as discussões entre os dois, mas a motivação para o crime ainda é incógnita.
— Pode ser inveja, intolerância em não aceitar a ascensão do guri e despreparo — diz o delegado Celso Ferri.

Fonte:Zero Hora