O que é inteligência emocional? – Os 5 pilares de Goleman!

Daniel Goleman
News,

O que é inteligência emocional? – Os 5 pilares de Goleman!

O que é inteligência emocional? A inteligência emocional é definida como a capacidade de um indivíduo de reconhecer, diferenciar, rotular e gerenciar suas emoções e outras. O conceito de inteligência emocional é relativamente recente.

Apesar disso, o conceito de inteligência emocional começou a se firmar e se tornar “famoso” na década de 90, após a publicação do livro “Inteligência Emocional”, do autor e da ciência jornalista Daniel Goleman.

Com a publicação do livro de Goleman, o conceito de inteligência emocional ganhou corpo e passou a ser objeto de estudo tanto no campo psicológico quanto na organização corporativa. Como se verá no decorrer do artigo, de fato, na concepção de Goleman, a inteligência emocional é um aspecto fundamental para o sucesso no campo dos negócios e da liderança.

Portanto, caso queira entender melhor sobre o conceito de inteligência emocional, convidamos a nos acompanhar nessa leitura completa e esclarecedora sobre o assunto. O que é inteligência emocional? Leia conosco, vamos lá!

O que é inteligência emocional?

O que é inteligência emocional?
O que é inteligência emocional?

Afinal, o que é inteligência emocional? A inteligência emocional pode ser descrita como a capacidade de um indivíduo reconhecer, discriminar e identificar, rotular adequadamente e, consequentemente, administrar suas emoções e as dos outros para atingir determinados objetivos.

Na verdade, a definição de inteligência emocional sofreu várias mudanças ao longo dos anos e seu significado pode assumir diferentes matizes dependendo do tipo de concepção que se tem dessa capacidade de identificar e administrar as próprias emoções e as dos outros.

Inteligência emocional de acordo com Goleman

O que é inteligência emocional de acordo com Goleman? De acordo com o modelo apresentado por Goleman, a inteligência emocional inclui uma série de habilidades e competências que orientam o indivíduo principalmente no campo da liderança. Em detalhes, de acordo com Goleman, a inteligência emocional é caracterizada por:

  • Autoconsciência: é compreendida como a capacidade de reconhecer as próprias emoções e forças, bem como as próprias limitações e fragilidades. Também inclui a capacidade de compreender como essas características pessoais são capazes de influenciar os outros;
  • Autocontrole: descreve a capacidade de gerir as próprias forças, emoções e fraquezas, adaptando-as às diferentes situações que possam surgir, buscando atingir metas e objetivos;
  • Relacionamento: consiste na capacidade de gerenciar o relacionamento com as pessoas de forma a “direcioná-las” para o alcance de um determinado objetivo;
  • Motivação: é a capacidade de reconhecer pensamentos negativos e transformá-los em pensamentos positivos capazes de motivar a si mesmo e aos outros;
  • Empatia: é a capacidade de compreender plenamente e até perceber e sentir o humor de outras pessoas.

O que é inteligência emocional? Segundo Goleman, a cada uma das características citadas pertencem diferentes habilidades emocionais, entendidas como as habilidades práticas do indivíduo necessárias para o estabelecimento de relações positivas com os outros. Essas habilidades, no entanto, não são inatas, mas podem ser aprendidas, desenvolvidas e aprimoradas a fim de alcançar um importante desempenho de cargo e liderança.

De acordo com Goleman, cada indivíduo é dotado de uma inteligência emocional “geral” desde o nascimento e o grau dessa inteligência determina a – mais ou menos alta – probabilidade de aprender mais tarde e explorar as habilidades emocionais acima. Goleman, portanto, faz da inteligência emocional uma ferramenta fundamental no contexto do sucesso no trabalho.

Como a inteligência emocional é medida de acordo com Goleman?

O que é inteligência emocional quando medida? A inteligência emocional segundo Goleman pode ser medida por meio do “Inventário de Competências Emocionais” e do “Inventário de Competências Emocionais e Sociais”, ferramentas desenvolvidas pelo próprio Goleman. Além disso, também é possível medir a inteligência emocional por meio da Avaliação da Inteligência Emocional. É um tipo de autoavaliação.

Efeitos e benefícios da inteligência emocional na vida diária

O que é inteligência emocional?
Efeitos e benefícios da inteligência emocional na vida diária

Já sabemos o que é inteligência emocional, mas e quais são as suas vantagens na vida de uma pessoa comum? Independentemente do tipo de modelo adotado para descrever traços e características, a presença de um alto grau de inteligência emocional – entendida como a capacidade de perceber, reconhecer e administrar corretamente as próprias emoções e as dos outros – deveria teoricamente trazer efeitos benéficos em todos os aspectos da vida diária do indivíduo. Em detalhes, aqueles com inteligência emocional devem:

  • Ter melhores relações sociais;
  • Ter melhores relacionamentos familiares e românticos;
  • Ser percebido pelos outros de forma mais positiva do que indivíduos com baixa inteligência emocional;
  • Ser capaz de estabelecer melhores relações no ambiente de trabalho do que quem não tem, ou tem baixo nível de inteligência emocional;
  • É mais provável que você se compreenda e tome decisões corretas com base na lógica e nas emoções;
  • Ter um melhor desempenho acadêmico;
  • Desfrute de um maior bem-estar psicológico. Quem tem um bom nível de inteligência emocional, de fato, parece ter uma chance maior de obter satisfação com a vida, de ter um alto nível de autoestima e um menor nível de insegurança. Além disso, a presença de inteligência emocional parece ser útil na prevenção de escolhas e comportamentos errados, também relacionados à saúde (por exemplo, abuso de substâncias psicoativas e dependência de drogas e álcool).

O que a inteligência emocional NÃO é

Diante do exposto, fica claro o que é inteligência emocional, e que por mais que busquemos rotulá-la, não existe uma definição única e como seu significado e suas aplicações podem mudar de acordo com os modelos teóricos considerados.

Portanto, não é surpreendente que o conceito de inteligência emocional seja frequentemente distorcido e/ou mal compreendido e que significados irrelevantes sejam atribuídos a ele.

A este respeito – ao contrário do que pode ser lido em inúmeros artigos e revistas – inteligência emocional não é sinônimo de felicidade, otimismo, calma e autocontrole, pois são traços que podem ou não pertencer à personalidade do indivíduo e não devem ser “misturados” com as características e habilidades atribuídas à inteligência emocional. Aprendeu o que é inteligência emocional? Ainda possui dúvidas sobre assunto? Conte a nós, comente abaixo. Até a próxima!