Conecte-se conosco

Cotidiano

Falta de caso e de respeito de Gollog faz com que percam cachorro e ignorem dona.

Publicados

em



De acordo com dona, Gollog culpou a empresa que transporta animais vivos pelo sumiço de ‘Pinpoo’Nair decidiu enviar o cão pela Gollog após descobrir que a Azul, empresa aérea pela qual viajou, não transportava animais com 9 kg. “Eu o coloquei em um voo combinado para chegarmos juntos no Espírito Santo”, disse. Ela pagou R$ 684,00 pelo serviço.

SÃO PAULO – Um cachorro que deveria viajar de Porto Alegre ao Espírito Santo através da empresa Gollog, o serviço de cargas da Gol, desapareceu no último dia 2. A dona do animal, Nair Flores, tinha como destino Guarapari, no litoral do Espírito Santo, onde faria uma visita a sua filha.
Nair decidiu enviar o cão pela Gollog após descobrir que a Azul, empresa aérea pela qual viajou, não transportava animais com 9 kg. “Eu o coloquei em um voo combinado para chegarmos juntos no Espírito Santo”, disse. Ela pagou R$ 684,00 pelo serviço.

A notícia do desaparecimento de “Pinpoo” veio durante uma escala do voo de Nair em Confins, Minas Gerais. “Quando liguei o celular, recebi um telefonema do meu tio, que é advogado, avisando que ele havia sumido”, lembra. O tio de Nair foi quem levou “Pinpoo” ao aeroporto de Salgado Filho, em Porto Alegre, de onde o cão partiria com destino à Vitória.

Ao chegar no Espírito Santo, Nair foi até o balcão da Gollog com sua filha e seu genro para pedir mais informações. Os funcionários da empresa alegaram não saber nada a respeito do animal. Desesperada com a situação, ela antecipou sua volta para casa, que deveria ser apenas no dia 15 de março.

“A Gollog disse que a culpa não é deles, e sim da empresa terceirizada que leva seres vivos até os aviões”, declarou Nair. A empresa afirmou ainda que está sendo bastante pressionada, mas prometeu à prejudicada que a levará na manhã desta sexta-feira, 11, até o aeroporto Salgado Filho para que ela possa procurar o animal. A dona nutre esperanças de que o encontrará, uma vez que o cão a reconhece pela voz. “Pinpoo” faria 11 meses este mês e era filhote dos cães da filha de Nair. Ele foi assim batizado pois é uma mistura das raças Pinscher e Poodle.

Em nota, a Gol informou que está “apurando o ocorrido e prestando apoio à cliente, com quem tem mantido contato a todo momento”. A empresa também afirma que “em todas as etapas do processo de transporte do animal, cumpriu com rigor não apenas seus procedimentos e controles internos, mas a legislação vigente”. O comunicado ainda destaca que “desde o início das operações da Gollog em Porto Alegre, em fevereiro de 2001, nunca registrou um único caso de animal extraviado no aeroporto da cidade.”

——————————————————————————————————–
Nada no mundo, digo, nada mesmo justifica esse comportamento irresponsável da Gollog, o cachorro nem é meu e fiquei com ódio desse desleixo.

E essa explicaçãozinha de que a culpa é da tercerizada?? Nem a vergonha na cara de assumir o erro tem, pra quem foi que a propietária do cachorro pediu o serviço?? Quem pôs a cara lá pra falar que realizava o serviço?? Agora na hora de assumir a culpa vem com essa desculpinha.

Que sirva de lição aos outros propietários: “Gollog não liga para seu animal e se perder nem a culpa vão assumir”.

Por favor se alguém ver esse cão nas redondezas do aeroporto de Porto Alegre favor manda um email para o site.

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,cachorro-desaparece-em-voo-de-porto-alegre-para-o-espirito-santo,690180,0.htm

Comentários via Facebook

Leia também

Continue Lendo
2 Comentários

2 Comments

  1. Emanuelle Engel

    19 de março de 2014 a 23:09

    Ele foi localizado?

    • Equipe

      24 de março de 2014 a 12:05

      Um bombeiro localizou ele perto de uma hangar e atraiu ele com comida. A dona recuperou o cachorro e o bombeiro foi punido por alimentar animais em área proibida(é sério).

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *