Em ato de desespero Kadafi responde ultimato da oposição líbia com pesado contra-ataque.

Home » News » Internacional » Em ato de desespero Kadafi responde ultimato da oposição líbia com pesado contra-ataque.

By nesqueci on 8 de Março de 2011. No Comments

Rebeldes defendendo a cidade petrolífera de Ras Lanuf.

Forças leais ao líder líbio Muamar Khadafi lançaram novos ataques aéreos contra rebeldes na importante cidade petrolífera de Ras Lanuf, segundo relatos de repórteres das agências de notícias AP e AFP.
Aviões-caça lançaram mísseis no deserto a leste da cidade, mas ainda não há informações sobre vítimas.
Rebeldes contrários ao regime do coronel Khadafi, que está há 41 anos no poder, ocuparam Ras Lanuf na sexta-feira.
Forças do governo lançaram então uma contra-ofensiva buscando impedir que os rebeldes continuem se aproximando da capital, Trípoli.
O ataque deve haver tambem com o ultimato de 72 horas dado pelo lider rebelde “Se ele deixar a Líbia imediatamente, em 72 horas, e parar com os bombardeios, nós, líbios, não vamos persegui-lo por seus crimes”, disse por telefone Mustafa Abdel Jalil, um ex-ministro da Justiça do país, à rede de televisão Al Jazeera.

Bloqueio aéreo

No front externo, se intensificam os debates sobre um bloqueio aéreo na Líbia, numa tentativa de impedir que as aeronaves militares do regime continuem bombardeando grupos de rebeldes.

Países árabes do golfo Pérsico pediram na segunda-feira que o Conselho de Segurança (CS) da ONU implemente o bloqueio aéreo, e a Grã-Bretanha confirmou que está preparando uma resolução para tentar por em prática a ideia.

No entanto, a correspondente da BBC na ONU Barbara Plett relata que há ceticismo mesmo entre defensores da medida. “Alguns diplomatas sugerem que o bloqueio seria sobretudo uma medida política para satisfazer as demandas do público por ações.”

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que a Otan (aliança militar ocidental) está considerando a opção militar como resposta à situação na Líbia, mas o secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, afirmou à BBC que não há planos de intervenção e que qualquer ação dependerá de eventual autorização da ONU.

A Rússia, por sua vez, reiterou na segunda-feira sua oposição a qualquer intervenção militar na Líbia, segundo a agência local RIA Novosti. O país tem poder de veto no Conselho de Segurança.

Fontes:BBC Brasil e Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *