Conecte-se conosco

Cotidiano

Antonio Palocci pede demissão e deixa o governo Dilma

Publicados

em

A senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) vai substituir Palocci na Casa Civil.

O ministro-chefe da  Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci, entregou no início da noite desta terça-feira sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff. O ministro comunicou a decisão à sua equipe no início da tarde e a forma como o pedido seria feito foi discutido entre o próprio Palocci, a presidente Dilma e outros assessores da Presidência.  Com a baixa na equipe, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) foi convidada para assumir a pasta.

Em nota, a assessoria da Casa Civil afirmou que “o ministro considera que a robusta manifestação do procurador-geral da República confirma a legalidade e a retidão de suas atividades profissionais no período recente, bem como a inexistência de qualquer fundamento, ainda que mínimo, nas alegações apresentadas sobre sua conduta. Considera, entretanto, que a continuidade de embate político poderia prejudicar suas atribuições no governo. Diante disso, decidiu solicitar seu afastamento”.

Na segunda-feira à noite, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, havia anunciado que iria arquivar o caso por falta de evidências contra o ministro. Mesmo assim, a oposição e até aliados do governo Dilma deram declarações entendendo como inevitável a saída de Antonio Palocci. Em uma última tentativa de articulação para salvar o ministro, a senadora Marta Suplicy reuniu senadores do PT para pedir assinaturas em uma declaração de apoio, mas os correligionários se recusaram a firmar o documento.

Nesta terça, três senadores do PDT assinaram o pedido de uma CPI para investigar as denúncias de enriquecimento ilícito feitas contra Palocci. Com isso, o líder do DEM no Senado, Demóstenes Torres, informou que falta apenas uma assinatura para que a oposição consiga quórum para criar a comissão. É necessário o apoio de 27 senadores e até agora 23 já assinaram o requerimento, mas a oposição conta ainda com o apoio declarado de Pedro Simon e Ricardo Ferraço, do PMDB e de Itamar Franco, do PPS, que elevaria o número para 26.

Entenda o caso

O ministro Antonio Palocci está no centro de uma polêmica após o jornal “Folha de S.Paulo” revelar que, em quatro anos, seu patrimônio pessoal se multiplicou por 20 – saltando de R$ 375 mil, em 2006, para R$ 7,5 milhões em 2010.

A Casa Civil tentou minimizar a denúncia e afirmou que todas as informações relacionadas à evolução patrimonial do ministro constam de sua declaração de renda de pessoa física, assim como são “regularmente enviadas” à Receita Federal – incluindo informações da empresa Projeto, da qual Palocci tem 99,9% do capital. Diz ainda que Palocci não reside no apartamento de R$ 6,6 milhões comprado em São Paulo.

Repercussão

Em visita ao Brasil, nesta segunda-feira (6), o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, desejou “força” para o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, ao encontrá-lo no Palácio do Planalto em referência à polêmica.

Tanto a decisão da Procuradoria Geral da República (PGR) quanto as explicações dadas pelo ministro, na última sexta-feira, à TV Globo e ao jornal “Folha de S. Paulo”, não reduziram a pressão para que ele deixasse o governo.

Casa Civil é alvo constante de ataques

Nos oito anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva, dois ministros da pasta deixaram o cargo sob suspeição: José Dirceu e Erenice Guerra. No governo Dilma, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, suspeito de enriquecimento ilícito foi o alvo. Em 2006, Palocci foi obrigado a renunciar ao cargo de ministro da Fazenda para não comprometer ainda mais o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A ‘maldição’ envolvendo a Casa Civil não é de hoje. Em 2004, o ministério foi o pivô do primeiro escândalo do governo Lula. O então subchefe de Assuntos Parlamentares, Waldomiro Diniz, homem de confiança do então ministro da pasta, José Dirceu, apareceu em um vídeo cobrando propina para o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Quando o vídeo foi gravado, em 2002, Diniz era presidente da Loteria do Estado do Rio de Janeiro.

Fonte:O Tempo Online

——————————
Posso estar sendo precipitado, mas devido o historico da casa civil acho que Gleisi esta queimando sua chance de ser governadora do Paraná um dia.


Comentários via Facebook

Leia também

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *