O que é altruísmo? – Veja o que significa o ato de bondade!

O Que é Altruísmo
News,

O que é altruísmo? – Veja o que significa o ato de bondade!

O que é altruísmo? O que está por trás de tantos comportamentos altruístas? Quando é mais fácil ser generoso com os outros? Falamos sobre isso neste artigo. O altruísmo é um dos valores mais importantes que regem a interação social. Acredita-se que está intimamente ligado à solidariedade e à ajuda ao próximo. Na verdade, quando crianças, a sobrevivência é condicionada pelo altruísmo dos pais.

Ao contrário da crença popular, o altruísmo não é totalmente sem razão ou motivação. Não é uma emanação da bondade pura e absoluta do ser humano.

Muitos são os estudos e pesquisas psicológicas realizadas com o objetivo de esclarecer exatamente o altruísmo, a que se devem os comportamentos aparentemente altruístas e desinteressados e em que condições eles emergem. Leia conosco e descubra o que é altruísmo, vamos lá!

Abnegação ou comportamento de ajuda

O que é altruísmo?
O que é altruísmo? Abnegação ou comportamento de ajuda

Em psicologia, são usados os dois termos “altruísmo” e “comportamento de ajuda”. A segunda foi criada por um grupo de pesquisa que concentra seus estudos em comportamentos que são objetivamente úteis a terceiros, independentemente de por que você deseja ajudá-los.

Muitos gestos aparentemente generosos e caridosos nada mais são do que o resultado de comportamentos ditados pelo pânico ou pela euforia. Essas emoções levam o indivíduo a realizar ações que pouco têm a ver com um ato puramente altruísta, embora a outra pessoa se beneficie delas.

Segue-se que, embora todo comportamento altruísta também seja um comportamento de ajuda, nem todos os comportamentos de ajuda são necessariamente altruístas.

Empatia e altruísmo

O debate sobre a existência de motivação altruísta surge, de certa forma, da emoção que acreditamos deve acompanhar o altruísmo. O altruísmo pode estar associado à emoção que o causa. E essa emoção pode ser empatia.

A empatia é uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa que não nós. Essa resposta afetiva poderia mais tarde ser traduzida em um comportamento de ajuda.

Altruísmo inerente: a hipótese da compaixão

O que é altruísmo?
O que é altruísmo? Altruísmo inerente: a hipótese da compaixão

O altruísmo pode ser igualado com a compaixão e o ato altruísta ocorre em vários estágios. A motivação altruísta é um fim em si mesmo e não oferece nenhum benefício. Quando o sujeito sente uma motivação altruísta, ocorre um cálculo hedônico, que tende a avaliar as consequências da ação. Mas isso sempre acontece depois de sentir essa motivação pró-social. O altruísmo é intrínseco, pois o comportamento de ajuda é inerentemente satisfatório: busca apenas o interesse dos outros.

Altruísmo extrínseco: ajudando com vantagens

Outros autores, no entanto, argumentam que o altruísmo é extrínseco, ou seja, insatisfatório em si mesmo. A satisfação não viria exclusivamente de ter ajudado o outro, mas de produzir benefícios acessórios ou evitar certos custos. Tal consideração seria feita sem a necessidade de primeiro sentir compaixão.

Teoria de busca de reforço

O que é altruísmo? Na teoria de busca de reforço a motivação altruísta nada mais é do que uma forma de motivação egoísta, mesmo que oculta. Por meio dela, nenhum benefício material seria buscado – já que isso seria um comportamento explicitamente egoísta e não haveria dúvidas sobre isso. No entanto, por meio do ato altruísta, certos reforços simbólicos seriam buscados.

Entre eles estão o prestígio, uma melhor autoimagem ou a satisfação pessoal de cumprir os próprios valores. Deixar de ajudar, por sua vez, também pode levar à punição simbólica, como desaprovação social ou remorso.

Nesse sentido, quando você ajuda alguém a não se sentir culpado mais tarde, ou quando encontra satisfação em ajudar alguém porque isso cumpre seus valores morais, não seria altruísmo intrínseco. O que é altruísmo? Na verdade, é mais como a motivação para a realização do que esse tipo de altruísmo.

Teoria do estresse do vigário

Na teoria do estresse do vigário, a explicação para o que é altruísmo é que o comportamento de ajuda visa aliviar o próprio sofrimento, e não o do outro. Isso significa que se pretende aliviar o sofrimento emocional por meio do ato altruísta.

Observar a necessidade no outro produz um processo empático aversivo, pois vemos o outro sofrer. Portanto, fortes emoções negativas surgem em relação ao mesmo objeto. Às vezes é possível evitar a situação fugindo, mas outras vezes não. E é assim que decidimos ajudar, para nos libertar do desconforto.

Teoria da singularidade

Por fim, há estudos que mostram que a identidade própria é dinâmica e maleável, ou seja, muda ao longo da vida. Por outro lado, a corrente evolutiva apoia semelhanças cognitivas e biológicas entre os humanos.

Portanto, não ajudaríamos os outros como altruístas, mas porque os limites de nossas identidades se fundiriam e se confundiriam com os dos outros: somos seres morfologicamente semelhantes. Sentimos e vivemos de maneira semelhante. Isso significaria que ajudamos o outro na medida em que o confundimos conosco.

É errado ajudar por interesse próprio?

O que é altruísmo?
O que é altruísmo? É errado ajudar por interesse próprio?

Dependendo das circunstâncias, qualquer um dos processos acima terá o maior impacto em nossa conduta, explicando a nós o que é altruísmo. A resposta à pergunta “existe altruísmo?”, portanto, não é única.

Nem todos os comportamentos de ajuda são altruístas. Na verdade, parece que poucos conseguem superar o filtro da socialização, do cálculo hedônico ou da busca de reforço para serem definidos como comportamentos puramente altruístas.

Nesse sentido, não há nada de errado em um comportamento de ajuda que busca mais do que ajudar o outro. Da mesma forma, embora um ato altruísta possa buscar obter a aprovação de um grupo, por exemplo, na verdade há sempre uma terceira pessoa, ou mesmo um grupo, para ser ajudado.

Portanto, sem cair na ideia inocente de que o altruísmo intrínseco permeia todos os comportamentos de ajuda, ou pelo menos a maioria deles, seria imprudente recusar a ajuda de alguém porque atende a um interesse pessoal. Ao receber ajuda, a motivação subjacente é, na maioria dos casos, completamente indiferente. Agora que já sabe o que é altruísmo, quem sabe está na hora de ajudar os outros sem algo em troca, não é mesmo? Até a próxima!