Conecte-se conosco

Cultura

Fóssil de espécie nunca antes catalogada é encontrado no RS.(Tiarajudens Eccentricus)

Publicados

em

Uma descoberta inédita de um fóssil com dentes de sabre com cerca de 260 milhões de anos foi apresentada na tarde desta quinta-feira na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Os ossos do crânio de um terápsido — uma antiga linhagem de vertebrados que deu origem aos mamíferos extinta há milhões de anos — encontrado em março do ano passado numa fazenda da localidade de Tiaraju, no interior de São Gabriel, na Campanha, coloca o Rio Grande do Sul na vitrina científica mundial.

Ilustração feita pelo paleontólogo Juan Carlos Cisneros do Tiarajudens Eccentricus mostrando os dentes para afugentar um predador.
Segundo o coordenador da pesquisa, o paleontólogo Juan Carlos Cisneros, foram necessários dois anos de pesquisa para comprovar que o material encontrado é especial por se tratar de uma espécie nunca antes catalogada.

Além disso, constitui o registro mais antigo de um herbívoro com dentes de sabre. Os pesquisadores batizaram a descoberta como Tiarajudens Eccentricus, uma nomeclatura que destaca os dentes fora do normal e também o local encontrado.

— O achado é o mais antigo de um terápsido que tinha a capacidade de mastigar. Os dentes de sabre eram mais comuns em carnívoros e não em herbívoros — explicou Cisneros.

A descoberta é tão importante que recebeu destaque na revista americana Science, tradidicional publicação da área cintífica. A pesquisa foi conduzida por cientistas da UFRGS, da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da University of the Witwatersrand, da África do Sul.

Confira a descoberta na linha do tempo

Histórico de descobertas em São Gabriel

Não é o primeiro fóssil célebre encontrado em São Gabriel. Em 2008, o crânio de um anfíbio com 270 milhões de anos, também da Era Paleozoica, foi localizado na Fazenda Boqueirão por pesquisadores da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

É o crânio mais completo de anfíbio já descoberto no Estado até hoje. Ele media aproximadamente 60 centímetros. Conforme descrição dos pesquisadores, tinha aparência e hábitos semelhantes aos dos atuais jacarés.

Fonte:ZERO HORA

Comentários via Facebook

Leia também

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *