Atualidades,

Nova onda “Cala boca Gisele”

O jornal americano “NY Post” publicou em seu site uma reportagem em que aconselha Gisele Bündchen, 30, a “calar a boca”.

No fim de janeiro, num evento durante a São Paulo Fashion Week, Gisele Bündchen afirmou para a plateia que não usa protetor solar. “Não posso colocar este veneno na minha pele. Não uso nada que seja sintético”.

Indo na contramão de todos os dermatologistas, a modelo, que lançava a sua linha de cosméticos Sejaa, acabou sendo um dos assuntos mais comentados do twitter. “Vai ver onde ela toma sol não tem buracos na camada de ozônio!”, escreveu a modelo Michelli Provensi em tom de deboche.

E a polêmica e infeliz declaração está dando o que falar até hoje. Neste domingo, o jornal norte-americano NY Post publicou uma reportagem em seu site pedindo para a top model brasileira calar a sua boca. E ainda listou várias declarações infelizes que ela concedeu à imprensa nos últimos anos. Veja algumas:

Filantropia
“Fiz minha professora de yoga vir de Nova York para dar aulas para meninas de um abrigo. Eu queria dividir alguma coisa, mas acabei caindo na real que não posso salvar ninguém.”

Amamentação
“Algumas pessoas acham que não precisam amamentar. Eu já penso: ′Vocês vão dar comidas químicas para seus filhos quando eles ainda são tão pequenos?` Acho que deveria ter uma lei mundial, na minha opinião, obrigando as mães a amamentarem seus filhos por seis meses.”

Sobre a escolha do nome de seu filho Benjamin
“Queria que meu filho se chamasse River (rio em inglês) porque queria algo que sempre fluísse e fosse imortal. Meu marido disse: `Não há a menor chance dele se chamar River.”

Sobre a gravidez
“Acho que muitas mulheres ficam grávidas e decidem que se transformaram em latas de lixo. Eu fiquei atenta para tudo o que comia e só engordei 13 quilos.”

Sobre a virgindade
“Hoje, ninguém é mais virgem quando se casa… mostrem-me alguém que é virgem!”

Sobre o enteado John
“Entendo que ele tem uma mãe e respeito isso. Mas, para mim, não é porque outra pessoa o deu à luz que ele não é meu filho. Eu sinto que ele é 100% meu filho.”

Fontes: UAI e UOL