Aviso

Esta seção contém material impróprio para menores de 18 anos.

Você tem certeza que deseja prosseguir sua navegação em conteúdo probido para menores?

Voltar

Suspeita de enviar doce envenenado a jovem de Curtiba era amiga da família

07:20 Arquivado em: News | Author Name


A polícia diz ter identificado a mulher suspeita de enviar brigadeiros envenenados a uma adolescente em Curitiba. A suspeita, de 45 anos, é amiga da família e organizava a festa de 15 anos de Talita Machado Teminski –para quem os doces foram enviados no último dia 12. Após comer os doces, que tinham chumbinho, a jovem chegou a sofrer duas paradas cardiorrespiratórias e precisou ser internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

A mulher vive atualmente em Joinville (SC). Policiais da Delegacia de Homicídios do Paraná foram à casa da suspeita e lá, segundo o delegado Rubens Recalcatti, encontraram veneno para rato e a blusa que ela usava no vídeo que ajudou a identificá-la.

Briadeiro

Brigadeiro envenenado


Talita recebeu os brigadeiros –com um bilhete que dizia se tratar de amostras para sua festa de aniversário– de um taxista e dividiu os doces com três amigos. Todos passaram mal e foram internados.

À polícia, o taxista disse ter entregue os doces a pedido de uma mulher, que o contratou na frente de um shopping center na região sul de Curitiba. As imagens das câmeras de segurança do shopping ajudaram a identificar a suspeita. Depoimentos de testemunhas corroboram a identificação, segundo Recalcatti.

Uma perícia realizada nos doces que os jovens não ingeriram apontou a presença do inseticida Terbufos. Agora, a polícia irá comparar o produto com o veneno encontrado na residência da suspeita.

Mistérios no caso

A mulher é procurada pela polícia, mas ainda não há mandado de prisão contra ela. “Encerro o caso por aqui. Só falta ouvirmos o depoimento dela para sabermos qual a motivação do crime”, disse Recalcatti ao UOL.

“No início da investigação, perguntamos sobre a suspeita à família, que nos disse que não havia como suspeitar dela”, falou o delegado. Segundo ele, as investigações mostram que a suspeita é “emocionalmente conturbada”.

Um outro mistério envolve o caso: segundo Recalcatti, o marido da suspeita foi encontrado na última quinta-feira com ferimentos graves –provavelmente decorrentes de agressões físicas– e está em coma num hospital de Joinville. “Não sabemos se isso tem relação com o caso, nem com o desaparecimento dela.”

Ainda na semana passada, uma mensagem com ameaças foi enviada a todos os contatos do telefone celular da suspeita. “O texto continha ameaças como ‘Não pagou conta, morre’, mas é preciso apurar se é verdadeiro ou não”, afirmou o delegado.

O pai de Talita, o policial militar Edilson Teminski, acompanhou a busca na casa da suspeita e custa a acreditar que a amiga da família seja a autora do crime. “Era nossa amiga, tinha acesso direto à família, levou a Talita para fazer fotos e vídeos para a festa de aniversário.”

Segundo ele, a adolescente não relatou nenhum desentendimento com a suspeita, e a festa –marcada para o próximo dia 15– já havia sido paga. “Nunca desconfiamos dela, que inclusive já tinha preparado uma festa para outra filha nossa”, disse Teminski.

 

Fonte:Uol

Link encurtado:

facebook comments:

Deixe uma resposta

Google Plus site stats
Aviso

Esta seção contém material impróprio para menores de 18 anos.

Você tem certeza que deseja prosseguir sua navegação em conteúdo probido para menores?

Voltar