Conecte-se conosco

Terror

Historias de Terror Vol.1

Publicados

em

Maldições, fantasmas, lendas urbanas.

Creio que todos já tenham lido ou escutado uma historia de terror que tenha te deixado sem sono.Por gostar do assunto e ver que o interesse cresceu resolvi abrir uma sessão dedicada ao assunto



Essa sessão de terror trara 5 historias semanais da minha escolha e algumas enviadas, se souberem de alguma podem me enviar pelo contato@naoesqueci.com.br

Aqui vão algumas que eram forte na minha infância e umas que me enviaram.

 

Historias de terror vol. 1

1.Loira de Algodão(Era uma historia que rodava na escola católica que eu estudei na infância.)

 
Historias de Terror - loira de algodão
A cidade era Rondonópolis, a escola “Escola de 1° e 2° grau Santo Antonio”(escola Salesiana)

Eu devia ter uns 8-9 anos e como um criança chatinha que fui(também não sou um adulto muito legal =/) não gostava muito de me relacionar com pessoas no geral então escola pra mim era sala depois casa.

Não comia na escola,não bebia água(tinha nojo de bebedouro e ainda tenho) muito menos ia ao banheiro na escola.
Mas como tudo tem uma primeira vez (provavelmente tinha bebido suco de mais em casa) nesse fatídico dia tive que esvaia minha pequena bexiga e foi ai que escutei as conversa de outros alunos sobre essa tal “loira de algodão”.

Supostamente ela seria uma aluna mais velha que morreu e provavelmente por odiar a escola anto quanto a gente resolveu ficar por lá assombrando os outro miseráveis(sério, escola católica da década de 80/90 era um rascunho do inferno).
Não dei muita bola por ser uma criança muito cética naquela época.

Foi bem ai que escutei um grito no banheiro feminino que ficava do outro lado da parede(grito de desespero mesmo).
Uma menina gritava “ela vai me pegar,ela tá ali olha” todo mundo entrou em desespero, saímos correndo pra fora e uma galera tentava abrir a porta do banheiro desesperadamente, normalmente a porta da frente ficava aberta porque la dentro eram varia cabines.

Nunca vi tanta gente chutando uma porta pra tentar arrombar(lá haviam alunos até de 13/14 anos)e a porta nada.

Passaram-se uns 15 min até a porta abriu como se tivesse tirado algo que a segurava.
A menina estava roxa de chorar e ninguém tinha a menor ideia do que aconteceu.

O fato é que depois desse dia ninguém mais ia em banheiro sozinho e tão pouco se falava sobre isso.
Espíritos? Crianças pregando uma peça na garota(crianças eram cruéis a esse ponto)?
Muitas historias de terror corriam por lá mas até aonde teria um fundamento?
Nunca saberei ao certo, mas que bom que sai de lá.

Essa foi minha contribuição

2 Quadro que não pegava fogo

Historias de Terror - menino chorando
Essa pintura que retrata um garoto triste, feita por Bruno Amadio, é uma cópia que foi produzida em massa e que repercutiu bastante na mídia da década de 90.

Um bombeiro alegou que a pintura tinha sido causa de vários incêndios em diversas casas. Segundo relatos, tudo chegava a ser destruído nos lares, só o quadro que permanecia intacto em todos os registros de incêndio.

O tablóide The Sun acabou fazendo uma matéria relatando que o quadro era assombrado e que incitava incêndios e, desde então, o caos foi instaurado. Tempos depois, a BBC investigou o caso das pinturas e revelou que elas estavam cobertas por um verniz repelente de fogo e por isso que os quadros permaneciam intactos durante os registros de incêndio.

Mas a coincidência de tantos incêndios nunca ficou clara e mesmo o fato que naquela época não era habito de se colocar repelente de fogo em todos os países(e isso ocorreu em vários)

Por muito tempo esse quadro ficou conhecido como maldito e de mau agouro.
Depois de algum tempo esse quadro caiu do esquecimento e provavelmente já não é tão fácil de se achar.

3 Alucinação, por Gil

“Uma vez eu estava sozinha em casa no meu quarto fazendo tarefa. Do nada, comecei a ouvir passos no andar de baixo. Pensei: ‘vou descer pra ver, né?’.

Antes de descer ouvi barulho de garrafas de vidro quebrando no bar do meu pai por um tempão. Decidi descer, cheguei no pé da escada e só via as garrafas e copos quebrados no chão e gente gritando na casa (sério, só tinha eu dentro dela).

Me tranquei no quarto e fiquei lá até meus pais chegarem. Adivinha? Não tinha nem garrafa, nem copo quebrado, nem gente na casa”, gihscottdip.

4 Boneca assombrada

Historias de Terror - boneca maldita
A antiga boneca havia sido comprada pela mãe para dar à sua filha Donna, no ano de 1970. A boneca sempre foi colocada na cama da garota em um pequeno apartamento que dividia com seu amigo Angie.

Tempos mais tarde, ela começou a fazer coisas estranhas e assustadoras. A boneca aparentemente tinha a capacidade de se mover por conta própria, pois quando a menina voltava para casa, encontrava seu antigo presente em uma sala diferente de onde tinha deixado.

Certo dia ela chegou em casa e encontrou uma mensagem dizendo “ajude-nos”. Mais tarde, sangue começou a aparecer da boca da boneca. A dona solicitou uma sessão espírita onde foi relatado que o brinquedo se chamava Annabelle, uma garotinha de sete anos que tinha sido encontrada morta no terreno de um apartamento.

O espírito foi encarnado na boneca para que ela pudesse ter uma companhia. Em uma noite em seu quarto, Angie foi atacado por uma estranha força invisível que o deixou com sete marcas de garras no peito.

Com medo, os amigos solicitaram a presença de investigadores paranormais e eles constataram que a boneca era um espírito demoníaco que buscava um hospedeiro humano e caçava fraquezas emocionais em garotas.

Os investigadores levaram a boneca do apartamento para um museu oculto, onde ela permanece presa. Segundo relatos, a boneca ainda se move ao redor dos lugares e rosna para os visitantes.

Provavelmente essa historia serviu pra inspirar vários filmes sobre o assunto.
Está se perguntando porque alguém teria tamanha atrocidade em casa?
Dê uma busca em “bonecas de porcelana” e veja como as gerações passadas não eram a definição de “pessoas normais”.

Jeff – O Matador

jeff o matador

No dia em que se mudou para o novo bairro, Jeff, um menino aparentemente comum, foi convidado para a festa de aniversário de seu vizinho. Enquanto ele e seu irmão se encaminhavam para onde estava acontecendo a comemoração, eles acabaram sendo atacados por um grupo de adolescentes parados em um ponto de ônibus.

Para defender seu irmão, Jeff revidou os ataques e deixou os garotos, muito mais velhos que ele, jogados no meio da rua, com os pulsos quebrados e profundos ferimentos de faca.

Foi depois desse episódio, aliás, que o menino descobriu que sentia prazer em causar dor nas pessoas. Ele já desconfiava disso, mas até aquele momento nunca havia surgido uma oportunidade para provar a sensação que estava sentindo.

Certa noite, a mãe de Jeff acordou com os ruídos de alguém chorando. Quando chegou a banheiro, a mulher se deparou com o filho fazendo em si mesmo um corte profundo, de lado a lado da boca, como um sorriso permanente. Ele também havia conseguido cortar suas pálpebras, de modo que nunca mais pudesse dormir.

Vendo o garoto daquele forma, a mãe de Jeff achou que ele tinha ficado louco e saiu correndo, para acordar seu marido. Ela parou na porta do quarto no entanto, quando percebeu que Jeff estava lá, com aquela cara horrível, segurando uma faca. A última coisa que a mulher ouviu foi seu filho dizendo: “Mãe, você mentiu!”.

Liu, o irmão de Jeff, tinha acordado no meio da noite e ouvido os sons abafados do quarto dos pais. Como, depois de instantes, não conseguiu ouvir mais nada, simplesmente tentou dormir novamente.

Mas, o garoto não conseguia se livrar da sensação de estar sendo observado. E foi assim, antes que ele pudesse fazer qualquer coisa, uma mão lhe tapou a boca e ele sentiu uma lâmina enfiando em seu estômago.

Liu tentou escapar do aperto das mãos, mas já era tarde demais. “Shiiiiiiiii, basta ir dormir”, disse Jeff.

Depois desse dia, o garoto nunca mais foi visto, mas diz a lenda que ele está por aí, sempre à espreita de sua próxima vítima

Fim

Essas foram as historias de terror dessa semana.
Até a próxima e não se esqueçam de enviar as suas.

Continue Lendo

facebook comments:

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *