Connect with us

Cotidiano

Anatel proibe vendas de Claro, Oi e TIM

Published

on

A Anatel deve suspender a partir desta quarta-feira a venda de chips de três das maiores operadoras de telefonia móvel do país: TIM, Oi e Claro.
Somadas, as três empresas têm cerca de 70% do mercado de telefonia móvel no país.
A Folha apurou que as vendas ficarão interrompidas até que elas apresentem um plano de investimento para os próximos dois anos, com metas para resolver problemas na qualidade dos serviços prestados aos consumidores.
Anatel promete medidas para reverter falhas na rede da TIM
Começa a proibição de vendas de novos celulares em Porto Alegre
Os técnicos da Anatel trabalhavam, nesta manhã, com previsão de impedir a venda e a ativação de novas linhas pela TIM em cerca de 15 Estados, pela Oi em 6 e pela Claro em 3.
A medida, que deve ser anunciada pela Anatel nesta tarde, em coletiva à imprensa, foi motivada pelo índice de reclamação dos consumidores sobre essas três empresas.
A Vivo, que é a maior operadora do país, não será afetada. Todas as operadoras, porém, serão obrigadas a melhorar os serviços.
A Anatel tomou a decisão após avaliar dados das empresas pelos últimos seis meses. Um dos maiores problemas é que as chamadas são interrompidas no meio do telefonema.
O plano que as empresas serão obrigadas a apresentar deve considerar: melhora na infraestrutura; no atendimento ao consumidor; completamento de chamada.
A Folha apurou que a Anatel deve ingressar com medidas cautelares em cada Estado e individualizada por operadora para suspensão dos serviços.
Há pouco mais de uma semana, a Folha antecipou que a agência pretendia executar medida contra a TIM, devido ao grande número de queixas dos consumidores.
A agência, no entanto, decidiu, antes de aplicar a sanção, aprofundar estudos sobre os casos de outras empresas de telefonia.
Na ocasião, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) disse que a proibição das vendas deveria ser “o último recurso” na tentativa de colocar uma companhia de volta nos trilhos.
As ações da TIM caíram 7,55% após a ameaça de suspensão nas vendas.
Fonte:FOlha

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Cotidiano

Posto de Gasolina explode na Imirim em São Paulo

Published

on

By

Um posto de gasolina explodiu nas proximidades do cruzamento das avenidas Imirim e Engenheiro Caetano Álvares na manha desta terça-feira (17/4), por volta das 9h.
Um grande medo tomou conta dos locais já que o posto fica na proximidade de uma escola publica.
O local do posto de gasolina ficou muito avariado e e as causas do acidente ainda não foram divulgadas.
Quatro vítimas tiveram atendimento imediato. Uma das vítimas foi encaminhada com urgência para o Hospital San Paolo, com contusão no joelho.
A vítima está consciente. Foram enviadas 16 viaturas para o atendimento, com varias equipes da Zona Norte.



Moradores próximos relataram tremores e avarias em pelo menos dois quarteirões de distancia.
Defesa Civil esclareceu que não há necessidade de interdições nos imóveis próximos, mas 18 locais tiveram danos e outros dois com avarias de maior intensidade.
O posto fica ao lado da Escola Estadual Joaquim Leme do Prado, e centenas de alunos tiveram que ser evacuados do local.
O muro da escola e parte de área do pátio da escola foram danificados. Três pessoas, entre alunos e professores, tiveram que ser atendidos por conta do tumulto. Na foto abaixo, o colégio fica atrás do posto:
Varias linhas tiveram que ser desviadas por causa do acidente.
Linhas desviadas:
967A/10 – Imirim – Pinheiros
971R/10 – CPTM Jaraguá – Metrô Santana
9784/10 – Jardim dos Francos – Metrô Barra Funda
971D/10 – Jardim Dasmaceno – Shopping Center Norte
971X/10 – Terminal Cachoeirinha – Metrô Santana
128Y/10 – Jardim Pery Alto – Lapa
1745/10 – Vila Nova Cachoeirinha – Shopping Center Norte
971C/10 – Cohab Brasilândia – Metrô Santana
971T/10 – Vila Santa Maria – Metrô Santana
809/10 – Perus – CCPD Raul Tabajara
9354/10 – Terminal Cachoeirinha – Praça do Correio
IRREGULARIDADES
De acordo com informações da repórter Andressa Rogê, para o SP1 (TV Globo), o posto de gasolina não tem licença de operação emitida pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). O documento, que tem validade de cinco anos, está vencido desde o fim do ano passado.

Fotos do posto de gasolina que explodiu

posto de gasolina destruido
posto apos explosão
posto explodido na imirim

Local da explosão

Continue Reading

Cotidiano

Bruce Jenner agora é Caitlyn Jenner

Published

on

By

A mudança do pai de kendall jenner(A mais linda das Kardashians).
Bruce era o nome do ex-atleta Que agora se chama Caitlyn Jenner.
Ele é medalhista de ouro do decatlo nos Jogos Olímpicos de Montreal, em 1976.
Ele é mais famoso por ter um programa com a família, o reality show “Keeping Up with the Kardashian”.


Bruce tem 65 anos, e apareceu pela primeira vez como mulher na capa da edição de julho da revista “Vanity Fair”.
“Me chame de Caitlyn”, declarou sobre sua nova identidade. O ensaio fotográfico da revista foi feito por Annie Leibovitz na casa de Jenner em Malibu, Califórnia, nos EUA.(Fonte)
O jornalista Buzz Bissinger, colaborador da “Vanity Fair”, teve acesso irrestrito a Jenner e sua família. Nesta edição, ele narra as tensões, traumas, e coragem que formou Caitlyn na mulher que se vê hoje.

Veja fotos como Bruce Jenner como Caitlyn Jenner

VARIOUS PERSONALITIES -- Pictured: Bruce Jenner -- (Photo by: NBC/NBCU Photo Bank)

VARIOUS PERSONALITIES — Pictured: Bruce Jenner — (Photo by: NBC/NBCU Photo Bank)


bruce jenner 1
bruce jenner 2
bruce jenner 3
Bruce jenner 4
bruce jenner 5
bruce jenner 6
caitlyn

Continue Reading

Cotidiano

Curitiba – Medica do Evangelico tratava pacientes do SUS no 'se parar, parou'

Published

on

By


Diminuição nos níveis de oxigênio, desligamento de aparelhos e “abandono” de pacientes que sofriam parada cardíaca. De acordo com ex-funcionários do Hospital Evangélico de Curitiba, essas eram as práticas mais comuns adotadas pela chefe da UTI Geral do hospital, Virgínia Soares de Souza, para antecipar a morte de pacientes. Segundo as denúncias, essa prática era feita com pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), por conta das baixas diárias recebidas pela equipe médica por internamento.
“Quase todo dia havia uma parada cardíaca de paciente do SUS. Eles utilizavam a sigla SPP, que significa ‘se parar, parou’. Então era assim: SUS, deu uma parada cardíaca, ela gritava: ‘SPP’. As enfermeiras já saíam fora, deixavam morrer, não faziam reanimação, nada”, disse a ex-fisioterapeuta do hospital Eliane Campêlo França à rádio BandNews de Curitiba, logo após prestar depoimento ao Núcleo de Repressão a Crimes conta a Saúde (Nucrisa). “Agora, se era paciente de convênio ou particular, daí não. Vamos lá reanimar porque dá dinheiro”, reforçou.
Um ex-enfermeiro do hospital, que não quis se identificar, informou ao Nucrisa que, para os pacientes do SUS, a médica deixava o respirador mecânico com quantidade mínima de oxigênio, o que era suficiente para antecipar a morte. “Eu também já vi ela desligar vários respiradores”, disse. “Já quando era paciente particular, a prática era o contrário, ela fazia de tudo para prorrogar a vida de forma artificial, para aumentar o número de diárias”, informou. O mesmo ex-funcionário declarou que outros três médicos adotavam o mesmo método.
Alegando o segredo de Justiça do inquérito, a Polícia Civil não confirma as denúncias, mas o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Marcos Michelotto já havia informado, na última quarta-feira, que outros médicos estão sendo investigados e que a polícia já concluiu que a chefe da UTI não agia sozinha. De acordo com Michelotto, os crimes pelos quais a médica está sendo investigada não podem ser classificados como eutanásia: as mortes não ocorreram com o consentimento das vítimas ou das famílias.
O advogado de defesa da médica, Elias Mattar Assad, sustenta que não há provas contra sua cliente e que todas essas denúncias são motivadas por conflitos de relacionamento e problemas internos entre colegas de trabalho. Em 2011, a médica chegou a ser afastada por 30 dias por problemas de relacionamento com seus subordinados na UTI.
A médica era responsável pelos 25 leitos da UTI destinada a pacientes politraumáticos, vítimas graves de acidentes, que chegavam ao hospital através do Siate, do Corpo de Bombeiros. De acordo com o diretor clínico do Hospital Evangélico, Gilberto Pascolat, que está, interinamente, responsável pela UTI, no cumprimento dos mandados de busca e apreensão, a Polícia Civil recolheu prontuários de sete pacientes recentes da UTI, o que indica que a investigação inicial é a respeito de sete mortes com suspeita de intervenção da médica Virgínia Soares de Souza.
Fonte:TERRA

Continue Reading

Trending

Copyright © 2017 Zox News Theme. Theme by MVP Themes, powered by WordPress.

Bitnami