Rapaz que agrediu ex-namorada no elevador reconhece o erro, mas diz que há exagero.

Home » News » Rapaz que agrediu ex-namorada no elevador reconhece o erro, mas diz que há exagero.

By nesqueci on 25 de março de 2011. No Comments

Na cadeia desde quinta, o homem que apareceu em jornais do Brasil inteiro enrolando uma cinta no pescoço da ex-namorada disse que está consciente do erro cometido. Prometeu arcar com as consequências e afirmou que está passando por uma situação muito difícil.

Claverson Cabral de Jesus, 26 anos, também se defendeu das acusações de que batia na primeira mulher e que ameaçou Maria de Fátima Barros, 20 anos, vítimas das agressões mostradas nas imagens do sistema de monitoramento de um prédio de São José.

Claverson nasceu em Sergipe e há oito anos mudou com a tia para Santa Catarina em busca de uma vida melhor. Explicou que em Frei Paulo, cidade em que morava, só tinha a roça de onde tirava apenas o suficiente para comer. No rastro do sucesso financeiro, o restante da família fez o mesmo caminho. O rapaz declarou que nos dos estados nunca teve problemas com a polícia e sempre trabalhou.
O último emprego era na área de serviços gerais do Aeroporto Hercílio Luz. Claverson garantiu que não é a pessoa descrita e nunca foi violento. Alegou que se fosse assim não teria despertado interesse de uma companhia aérea em contratá-lo para o setor de bagagens. Ele também falou que Maria de Fátima errou no relacionamento deles, mas preferiu não revelar o que aconteceu.
O rapaz classificou de absurdas as acusações de que agredia a primeira mulher, com quem foi casado por três anos e tem uma filha de um ano. Afirmou que ela está disposta a ajudar e esteve ontem na cadeia para conversarem.

Juliana Cristina Marques, 28 anos, confirmou tudo e acrescentou que se for necessário vende a casa para pagar o advogado dele. A primeira mulher reconheceu que registrou um boletim de ocorrência acusando Claverson de agressão. Justificou que estava com raiva por causa da separação. Ela afirmou que a correção está no depoimento prestado na quinta.
Neuza Cabral de Jesus, 42 anos, mãe de Claverson não aprovou as agressões, mas também reclamou do tratamento que o filho recebeu. Afirmou que o rapaz sempre se comportou bem e disse que as coisas começaram a sair dos trilhos quando ele deixou a mulher para ficar com outra. Ela criticou Maria de Fátima que estaria se aproveitando da situação para aparecer. Declarou que a vítima está a todo momento na televisão, incluindo o programa da apresentadora Sônia Abrão.

Maria de Fátima foi procurada, mas o celular estava desligado.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *