Presa quadrilha que assaltou nove bancos; vídeo mostra como bandidos agiam. Confira

Home » News » Presa quadrilha que assaltou nove bancos; vídeo mostra como bandidos agiam. Confira

By nesqueci on 23 de maio de 2011. No Comments

Uma quadrilha acusada de assaltar bancos de Curitiba foi apresentada, na manhã desta segunda-feira (23), no Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), em Curitiba. Pelo menos nove agências bancárias espalhadas pela capital foram assaltadas pela quadrilha que tinha uma forma peculiar de atuar (Confira abaixo no vídeo divulgado pela Polícia Civil de um assalto no bairro Orleans). Foram meses de investigações por parte do Cope até chegarem ao nome de Marcos Souza dos Anjos (33), chefe da quadrilha. Souza foi detido na última sexta-feira (19), ao tentar comprar um carro no Bairro Uberaba. O suspeito ainda tentou evadir do local, mas foi detido pela polícia.

Outros três membros da quadrilha também foram presos, sendo estes; Criselmo Rogerio Serbelo (34), Eloir Aschembrener (34), Marcio Fernando Soares (32). Um detalhe é que todos os presos são foragidos do sistema penal. Outros dois suspeitos de fazerem parte da quadrilha estão foragidos, são eles; Sandro Luiz Cardoso (foto abaixo) e um outro elemento ainda não identificado (com óculos na foto abaixo).

O delegado do Cope, Alexandre Macurin, responsável pela prisão da quadrilha, passou à Banda B detalhes sobre como os suspeitos atuavam. “Um elemento entrava, puxava conversa com o vigilante e tirava sua atenção, vindo então um segundo que ficava na cambuca esperando a chegada do terceiro, este colocava a arma na cambuca, após isso, eles rendiam os vigilantes e praticavam o assalto, só em Curitiba foram pelo menos nove agências bancárias, além de uma joalheira no Shopping Jardim das Américas e assaltos no interior do estado”, relatou ele.

A Polícia Civil divulgou um vídeo de assalto a uma agência no bairro Orleans, no qual um vigilante reagiu e acabou sendo alvejado na perna pelos suspeitos. Confira:

Fonte:Banda B AM (Para mais informações sobre os acusados visite)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *