Financial Times – Sigilo da Apple sobre problema saúde de Steve Jobs desagrada investidores

Home » News » Política » Economia Mundial » Financial Times – Sigilo da Apple sobre problema saúde de Steve Jobs desagrada investidores

By nesqueci on 7 de fevereiro de 2011. No Comments

Steve Jobs ri durante apresentação de novos iPods em setembro de 2010.

Steve Jobs, o presidente da Apple, tirará uma licença indefinida devido a problemas de saúde não revelados, transferindo o controle diário da companhia para o seu diretor de operações, mas continuará participando das mais importantes decisões da empresa.

O fundador da Apple divulgou a notícia para os seus funcionários em um e-mail enviado anteriormente, em um feriado público nos Estados Unidos, o que abrandou a reação imediata dos mercados de ações. Na Alemanha, as ações da Apple caíram até 8%.

No e-mail, Jobs disse que espera estar de volta “o mais rapidamente possível”. Jobs submeteu-se a um transplante de fígado em 2009, durante uma licença médica de seis meses, e o seu atual afastamento fez com que surgissem temores de que o seu câncer do pâncreas possa ter voltado.

Jobs, 55, pediu que a sua privacidade fosse respeitada, e a companhia não informou se o problema dele é câncer ou um outro fator. Conforme aconteceu no passado, os investidores reclamaram de que a Apple age de forma excessivamente sigilosa.

Torni Sacconaghi, um analista da Sanford Bernstein, afirmou: “O fato de eles não estarem admitindo que o problema gira em torno da saúde de Jobs e não fornecerem informações sobre isso é uma atitude incorreta”.

Em 2004, Jobs foi diagnosticado com uma forma rara de câncer do pâncreas que produziu um tumor neuroendócrino, afetando o seu sistema hormonal. Tais tumores se apresentam em diversas formas, o que torna difícil fazer generalizações sobre o prognóstico.

Jobs foi um dos fundadores da Apple em 1976, mas foi afastado da companhia em meados da década de oitenta, após uma luta interna por poder. Ele retornou em 1997, fazendo com que a companhia se recuperasse da quase falência com o lançamento de produtos como o iPod, o iPhone e o iPad, que contribuíram para que a Apple se tornasse o segundo maior grupo empresarial em termos de valor de mercado, atrás apenas da Exxon Mobil.

Em todas as iniciativas para a criação de novos produtos, Jobs envolveu-se de forma incomumente intensa para um presidente de empresa, escolhendo os projetos e, a seguir, supervisionando os acordos empresariais e as características de design de forma extremamente minuciosa, informam os funcionários da Apple.

No último relatório de desempenho da Apple, divulgado três meses atrás, Jobs disse aos investidores que a sua saúde estava boa. Até mesmo dentro da Apple, todos achavam que ele não apresentava problemas de saúde.

O fato de a empresa ter dado a notícia desta forma é algo que se encaixa com a prática tradicional da Apple. Tim Cook, o diretor de operações, apareceu na semana passada em um evento há muito antecipado para anunciar que o iPhone seria operado pela Verizon Wireless, uma das grandes operadoras de telefonia celular dos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *