Em Curitiba (PR) – Funcionária da UFPR que foi esfaqueada é retirada do coma induzido

Home » News » Em Curitiba (PR) – Funcionária da UFPR que foi esfaqueada é retirada do coma induzido

By nesqueci on 8 de julho de 2011. No Comments

Leonir Maria Cardoso, de 50 anos, esfaqueada no último domingo (3), dentro do campus das Agrárias da Instituição, foi retirada do coma induzido nesta sexta-feira. Ela apresentou melhoras, de acordo com informações passadas pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa).
Leonir já respira sem aparelhos e a sedação foi retirada, apesar disso, seu estado de saúde é grave. Ela continua internada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Trabalhador.

Investigação

As investigações do caso está nas mãos da Delegacia de Homicídios (DH) e até o momento pouco se sabe sobre a autoria. Os policiais descobriram que Leonir saiu pedindo socorro com uma tesoura cravada na cabeça e por pouco não morreu no local. A ação só foi percebida quando Leonir conseguiu sair de sua residência – que fica dentro do campus – e avisar um dos seguranças do local.

Um vulto de um homem foi percebido por este funcionário da segurança, que teria feito disparos, mas sem conseguir atingir o suposto agressor.

“Nós recebemos a denúncia da família quase 24 horas depois e até o momento são poucas as informações. A vítima, que poderia ajudar na identificação do suspeito, só fala depois de restabelecida. O funcionário da segurança, que seria uma testemunha importante, ainda não prestou esclarecimentos. Nossa alternativa foi enviar a perícia ao local e tentar ir levantando as informações”, disse a delegada Aline Manzotto da DH. A filha de Leonir que a acompanhou na ambulância até o hospital deve ser umas das primeiras testemunhas a serem ouvidas.

Minutos antes

O filho de Leonir, que é técnico em contabilidade, foi visto saindo da residência com uma motocicleta poucos minutos antes dela sair pedindo socorro com a cabeça ensanguentada. “Nós não vamos prendê-lo porque não temos provas, mas ele também deve ser investigado tendo em vista que foi flagrado pelas câmeras de segurança deixando o local”, disse a delegada.

A residência estava revirada, o que indica luta corporal, as manchas de sangue estão concentradas próximo a uma das janelas. Ainda de acordo com Aline, nenhum pertence foi roubado e não há sinais de arrombamento na casa.

Fonte:Portal Banda B AM


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *