Em Araucaria (PR) – Mulher mata “amiga” e é presa enterrando o corpo no quintal.

Home » News » Em Araucaria (PR) – Mulher mata “amiga” e é presa enterrando o corpo no quintal.

By nesqueci on 17 de agosto de 2011. 2 Comments

Uma briga entre duas amigas terminou com uma mulher brutalmente assassinada durante o início da tarde desta terça-feira (16), em Araucária, região metropolitana de Curitiba. Segundo a polícia, tudo começou por volta das 12h, na rua João Polak, no Jardim Maranhão, numa discussão motivada por dinheiro entre a vítima: Angelita Mordzim Ribas, 29 anos, e a autora: Fátima da Silva Severino, 42.

De acordo com os investigadores, Angelita e Fátima foram vizinhas durante anos e mantinham uma amizade desde então. Só que o fato da primeira ter realizado algumas compras no nome da segunda, desencadeou a discussão de hoje. Uma delas foi o financiamento dum Palio Preto, como a prestação do carro estava com dois meses de atraso, as ofensas chegaram às agressões físicas, quando já era 13h30 da tarde.

Os policais apuraram que Angelita teria desferido um tapa na cara de Fátima, que revoltada, ao lado de seu filho de 15 anos, sacou uma faca e matou a “amiga” com vários golpes. Desesperada, a autora do homicídio resolveu encobrir as provas do crime. Primeiramente, teve a ideia de enterrar o corpo da vítima no quintal de casa, no entanto, um vizinho acompanhou a movimentação e denunciou ao 190 da Polícia Militar.

Avisados, os policiais do 17º Batalhão se deslocaram ao local, verificando o corpo dentro dum poço, 50 cm terra adentro. A autora confessou o crime, sendo flagrada já com malas prontas para a fuga. Ela foi encaminhada à Delegacia de Araucária. Já o filho, fugiu pulando o muro de casa.

Fonte:Banda B AM


2 Responses to Em Araucaria (PR) – Mulher mata “amiga” e é presa enterrando o corpo no quintal.

  1. amanda   21 de setembro de 2011 at 17:34

    nossa eu sou quase visinha dela meu deus qque tragedia eu nao me conformei com isso e

    Responder
  2. amanda   21 de setembro de 2011 at 17:35

    vou continuar eu nao conhasia a que matou nem a quem morreu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *