|

Eike Batista contrata ex-ministro para defender Thor Batista em caso de atropelamento

O bilionário Eike Batista, pai do empresário Thor Batista, 20, confirmou pelo Twitter na noite desta quarta-feira (21) que contratou o ex-ministro da Justiça e advogado criminalista, Márcio Thomaz Bastos, para defender o filho no caso do atropelamento e morte de um ciclista no último sábado (17).

Questionado por um internauta, Eike Batista disse na rede social: “Só contrato o melhor. Algum problema?”.

“Lamento profundamente”, diz Thor Batista sobre acidente e outros vídeos – UOL Notícias

Bastos foi ministro da Justiça entre 2003 e 2007, durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e por três meses do segundo mandato.

Mas ele ñ é inocente @eikebatista? Pq td isso? “Eike contrata ex-ministro da Justiça p/ defender Thor. exame.abril.com.br/economia/brasi… via @exame_com

@gil_bernardo @exame_com. So contrato o melhor algum problema?

O delegado da 61ª Delegacia de Polícia de Xerém, Mário Arruda, afirmou hoje que as circunstâncias iniciais da investigação sobre o acidente indicam que a vítima estava “no meio da pista”.

O ciclista Wanderson Pereira dos Santos, 30, foi morto na noite do último sábado (17) após ser atropelado por Thor Batista na rodovia Washington Luís (BR-040). Wanderson foi atingido pela Mercedes-Benz SLR McLaren conduzida pelo filho do bilionário e morreu no local.

A afirmação do delegado foi feita após o depoimento de Thor Batista, que durou mais de duas horas. Arruda, porém, não descarta a possibilidade de que os laudos periciais apontem a culpa do condutor. “Nesses casos, costuma-se isentar o motorista da culpa, isto é, quando a culpa é exclusiva da vítima. Mas estamos esperando o laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) para aferir qual era a velocidade do carro do Thor Batista”, disse o delegado.

Ainda de acordo com Arruda, o carro foi periciado no local do acidente e passou por uma segunda perícia na casa do jovem. O laudo do ICCE deve ficar pronto daqui a 20 dias. A polícia avalia a possibilidade de uma terceira perícia. Momentos depois da colisão, o veículo foi liberado, o que foi criticado por especialistas ouvidos pelo UOL.

“Ainda temos algumas dúvidas do ponto de vista técnico. A perícia no local foi feita de forma minuciosa, tudo foi fotografado. É uma questão de praxe liberar o veículo após esse procedimento. O fato de o carro ter sido liberado para a família do condutor não prejudica as investigações”, alegou Arruda.

“O que eu posso dizer é que a marca da frenagem, no local do acidente, parte do centro da pista para o canto”, detalhou Arruda, que ainda afirmou que Thor Batista só será indiciado por homicídio culposo, com pena que varia de 2 a 4 anos de prisão, se o exame pericial constatar que ele estava acima da velocidade permitida na rodovia Washington Luiz, que é 110 km/h.

No depoimento, o fiho de Eike Batista apresentou sua versão dos fatos, mas o delegado não revelou o teor da conversa.

Thor Batista falou com a imprensa ao deixar a delegacia. “Lamento profundamente por tudo isso. Mesmo convicto de minha inocência vou prestar todo o auxílio necessário para a família do Wanderson”, disse.

Pelo microblog Twitter, Thor Batista já havia afirmado que o ciclista atravessou a via “repentinamente”, o que teria provocado o acidente, e negou estar em alta velocidade. Ele também divulgou fotos que mostram os machucados no seu rosto e braço após a colisão.

O filho de Eike Batista estava em companhia de um amigo no dia do acidente. Após o atropelamento, eles foram a um posto da Polícia Rodoviária Federal próximo ao local do acidente e pediram socorro. Os dois foram submetidos ao teste do bafômetro, cujo resultado deu negativo, e foram liberados.

Versões conflitantes

Uma testemunha que teve o carro ultrapassado pela Mercedes de Thor Batista afirmou à polícia do Rio ontem ter alertado o filho de Eike Batista sobre a morte da vítima.

Segundo o chefe de investigação da 61ª DP, Humberto Sousa, a testemunha –um estudante de medicina que não teve a identidade revelada– contou ao delegado responsável pelo caso que foi ultrapassado por Thor Batista e, momentos depois, viu o corpo desfigurado da vítima na via. O carro do filho de Eike Batista estava parado no acostamento a cerca de 100 metros do local da colisão.

“Você matou o cara ali atrás”, disse a testemunha ao passar pelo carro parado. Ainda segundo a testemunha, Thor Batista teria afirmado: “Mas o cara atravessou na minha frente”. O filho de Eike Batista estaria com ferimentos leves e em estado de choque.

Após o rápido contato com Thor Batista, o estudante afirma ter ligado para o 190, central telefônica da polícia. De acordo com Humberto Sousa, a testemunha não deu detalhes sobre a velocidade do carro ao fazer a ultrapassagem.

Uma pessoa que afirma ter visto o momento do acidente, porém, disse à BandNews que o ciclista foi atropelado no acostamento  e que Thor Batista, em alta velocidade, teria colidido com a vítima ao tentar ultrapassar um ônibus.

O advogado Cléber Carvalho, que representa a família do ciclista, disse no início da semana ter testemunhas de que o ciclista trafegava no acostamento.

A defesa do empresário reafirmou que a vítima não foi atropelada no acostamento. “Quem em uma pista livre de estrada iria trafegar pelo acostamento? Essa é uma hipótese totalmente inviável”, afirmou o defensor Celso Vilardi.

A Polícia Civil colheu até o momento seis depoimentos, dos quais o de Thor Batista e do amigo que estava no banco do carona, identificado como Vinícius Raca, além dos dois policiais da Polícia Rodoviária Federal que atenderam a ocorrência e duas testemunhas que trafegavam pelo local. Um terceiro motorista, que ainda não foi identificado, deve ser chamado para depor nos próximos dias.

Pontos na CNH

O delegado do caso disse ainda que não levará em consideração o fato de o filho de Eike Batista ter acumulado mais de 40 pontos na carteira de motorista entre dezembro de 2010 e outubro de 2011. “Essa informação é um indício em muitos casos, mas o cidadão pode ter sido multado 20 vezes e isso não quer dizer que ele não estivesse dirigindo dentro dos limites naquele momento”, argumentou.

Segundo o advogado do empresário, Celso Vilardi, o acúmulo de multas na carteira se dá em função de uma constante troca de veículos.

“A habilitação dele é válida. Todo mundo sabe que o Thor tem muitos carros e anda com seguranças a maior parte do tempo. Ele se desfez de alguns e isso pode ter causado alguma confusão junto ao Detran. Outras pessoas podem estar recebendo multas, mas os veículos ainda estão em nome do Thor. Se houve algum erro, foi por parte do Detran, que não enviou nenhuma notificação”, afirmou. (Com reportagem de Hanrrikson de Andrade, do UOL, no Rio)

 

Fonte:Folha Uol

—————————-

Opinião minha não do uol.

 

Porque contratar o maior especialista em direito criminal ?

Já deve saber que tem informação que mudara isso de otica.

Short URL: http://naoesqueci.com.br/?p=11880

Posted by on mar 22 2012. Filed under Atualidades. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

facebook comments:

Deixe sua resposta(Os comentários não refletem a opinião do site, o que postar será de sua inteira responsabilidade.)

120x600 ad code [Inner pages]
300x250 ad code [Inner pages]