Aviso

Esta seção contém material impróprio para menores de 18 anos.

Você tem certeza que deseja prosseguir sua navegação em conteúdo probido para menores?

Voltar

Decisão de Senado italiano abre caminho para queda de Berlusconi

15:46 Arquivado em: Cotidiano,Internacional | Author Name

A aprovação pelo Senado italiano nesta sexta-feira de um pacote de reformas econômicas proposto pelo governo abre caminho para a queda de Berlusconi, que pode acontecer já neste final de semana.

A matéria foi aprovada com 156 votos a favor e 12 contra. Agora, a expectativa é de que a Câmara dos Deputados vote o pacote no sábado ou no domingo
Berlusconi, que perdeu a maioria no Parlamento nesta semana, afirmou que deixaria o cargo de primeiro-ministro assim que as reformas fossem aprovadas.

A expectativa é que ele seja substituído pelo ex-comissário da União Europeia (UE) Mario Monti.

O pacote de austeridade é parte dos esforços para tirar a Itália da crescente crise envolvendo sua dívida, que também atinge cada vez mais os países da zona do euro.
Crise

A dívida pública italiana já atinge 120% do PIB (Produto Interno Bruto). Nessa quinta-feira, o governo italiano conseguiu levantar 5 bilhões de euros em novos títulos da dívida, a juros de 6,087% para títulos de um ano.

O correspondente da BBC em Roma Alan Johnston afirma que os líderes italianos estão desesperados para mostrar que podem aprovar o pacote de reformas rapidamente.

Johnston diz ainda que Monti, um respeitado economista, é exatamente o tipo de pessoa que os mercados financeiros gostariam de ver no poder em um momento de crise.

No entanto, analistas afirmam que, mesmo com a aprovação do pacote de reformas e a posse de um primeiro-ministro tecnocrata, a Itália ainda terá dificuldade para equilibrar sua economia.

O pacote de austeridade proposto por Berlusconi prevê uma economia de 59,8 bilhões de euros em cortes de gastos e aumentos de impostos, com o objetivo de equilibrar o orçamento do país até 2014.

Entre as medidas, estão o aumento do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), de 20% para 21%; o congelamento dos salários de servidores até 2014; a alta da idade mínima de aposentadoria para as trabalhadoras do setor privado, de 60 anos em 2014 para 65 em 2026; aperto nas medidas contra a evasão fiscal; e um imposto especial para o setor de energia.
Senador vitalício

Para que Monti pudesse se tornar primeiro-ministro, o presidente italiano, Giorgio Napolitano, deu a ele o posto de senador vitalício.

Ele foi recebido pelos parlamentares no início da sessão desta sexta-feira, mas saiu rapidamente para uma reunião com Napolitano.

Caso a câmara dos Deputados conclua a votação no sábado, o presidente poderá aceitar a renúncia de Berlusconi na noite do mesmo dia. Assim, Napolitano poderia pedir formalmente a Monti – ou a outro candidato – que forme um governo, a fim de contornar a crise econômica.

Na quarta-feira, os juros para títulos da dívida de dez anos chegaram a 7%, mesmo patamar registrado por Grécia, Irlanda e Portugal quando foram obrigados a buscar ajuda financeira do FMI e da UE.

Uma equipe de especialistas da UE já está trabalhando em Roma, monitorando os planos do governo para reduzir sua dívida.

Nos últimos 15 anos, a economia italiana cresceu a uma taxa média anual de 0,75%.

Fonte:BBC

Link encurtado:

facebook comments:

Deixe uma resposta

Google Plus site stats
Aviso

Esta seção contém material impróprio para menores de 18 anos.

Você tem certeza que deseja prosseguir sua navegação em conteúdo probido para menores?

Voltar