Criticas a Copa 2014″O Brasil ainda não tem nada”

Home » Atualidades » Esporte » Criticas a Copa 2014″O Brasil ainda não tem nada”

By nesqueci on 24 de junho de 2011. 1 Comment

“Parece que o Brasil está mais preocupado em ganhar a Copa do Mundo do que em organizá-la. O Brasil não tem estádios, não tem aeroportos, nem um sistema de transporte nacional em funcionamento”. A avaliação nada positiva da sede da próxima Copa do Mundo é a nova mensagem do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, ao Brasil. O diretor da entidade já se acostumou a criticar a organização daquele que é considerado o país do futebol. Ontem (24/06), fez as observações durante o seminário Inside World Football, na Rússia, sede da Copa de 2018.

“Não diria que o trabalho começou atrasado, mas acho que não avançou muito até agora”, completou Valcke, mostrando ainda outro lado de sua personalidade, o político. Depois do tapa na cara, ele sempre dá um jeito de amenizar o discurso. Tem feito isso desde que ficou evidente a lentidão brasileira na preparação para o Mundial 2014.

Nem sempre, porém, a fala áspera e os panos quentes andam juntos. Mais de uma vez, o secretário-geral da Fifa se viu obrigado a medir as palavras depois de causar desconforto. Atitude contraditória também exibida pelo presidente da entidade, Joseph Blatter.

Em maio de 2010, por exemplo, Valcke reclamou do estado dos estádios para o torneio na América do Sul. “Recebi um relatório sobre a situação dos estádios brasileiros e preciso dizer que não é muito boa. É impressionante como o Brasil já está atrasado. A maioria dos prazos já foi desrespeitado e nós precisaremos trabalhar com novos prazos”, comentou.

Não era a primeira vez que ele reclamava. Antes mesmo dessa oportunidade, o dirigente sabia que estava ficando chato nas insistentes cobranças por maior agilidade das autoridades brasileiras. “Já estou sendo criticado no Brasil, é um grande início. Me encanta esse país. Gostaria de não ser o menino mau, mas a verdade é que há muito para fazer e não se pode perder tempo”, falou, em fevereiro do ano passado.

A bronca da Fifa com o aparente pouco empenho nacional em acelerar as obras tirou até o presidente Blatter do sério. Em março de 2011, soltou o verbo. “Gostaria de dizer para os brasileiros que a Copa é amanhã e eles estão pensando que é depois de amanhã. Comparando Brasil e a África do Sul três anos antes do Mundial, o Brasil não está tão adiantado quanto a África estava”, disparou o suíço.

A rispidez durou pouco mais de duas semanas. Tempo suficiente para as indignadas reações brasileiras a seu discurso forçarem Blatter a mudar radicalmente de opinião. “Recebi relatórios muito positivos sobre o andamento dos preparativos para o Mundial, especialmente na construção de estádios, mas também de aeroportos e hotéis em diferentes regiões do Brasil. Eles tomaram minha questão como uma crítica e começaram a trabalhar como grandes. Neste momento, não temos nenhum problema”, disse, em março deste ano, para não mais tocar no assunto.

A missão de espezinhar a futura sede da Copa do Mundo passou a ser exclusividade do francês Valcke. Além de afirmar que o país hoje não tem infraestrutura para receber o torneio, ele ainda mirou especificamente a capital paulista, onde o Itaquerão nem começou a ser erguido. “[O estádio de] São Paulo pode ficar pronto a poucas semanas do Mundial. Terminar os estádios é a parte mais importante. O de São Paulo não pode ficar pronto no último minuto”, criticou.

Fonte:Gazeta do Povo


One Response to Criticas a Copa 2014″O Brasil ainda não tem nada”

  1. Henrique Souza   14 de junho de 2014 at 22:51

    Henrique de Souza
    – 13/06/2014 – 17:58

    APRESENTAÇÃO DO BRASIL PARA O MUNDO “VERGONHA NACIONAL”. Abertura do Copa do mundo no Brasil foi uma vergonha para o Brasil, como se a poderosa FIFA quisesse achincalhar toda a nação Brasileira em resposta a não aprovação as muitas e grandes mazelas criadas por esta organização insensível e insensata, mercantilista que se aproveita da boa fé dos povos dos países em que ela atua convencendo os políticos corruptos desses países a apoiarem suas ações maléficas e antipopulares, em troca de algumas migalhas de dólares. A EMBRATUR, representando o governo brasileiro em vez de aproveitar esta oportunidade única de um marketing mundial do Brasil para quase duzentos países do mundo praticamente sem custo de divulgação, poderia apresentar todas as coisas maravilhosas que temos nas áreas de Cultura Historia, Folclore e belezas naturais para levar ao conhecimento de milhares de pessoas pelo mundo que poderiam marcar o Brasil como um destino turístico, e com isto trazer milhares de dólares junto com desenvolvimento, pois a maior e melhor industria do mundo e a mais rentável pela grande geração de emprego e renda em todos os setores da economia. A FIFA desdenhando a capacidade de brasileiros fazerem a abertura da “COPA DO MUNDO NO BRASIL” contrata um italiano Franco Dragone, e a belga Daphné Cornez (que talvez nunca tenham ouvido falar no Brasil, alem de não conhecerem nossas raízes e nossa historia). Para apresentarem aquela festinha fajuta, medíocre de fundo de quintal e de péssimo mal gosto envergonhando um povo inteiro como se fossemos incompetentes para mostrar que o maravilhoso Pais chamado Brasil tem competência para se apresentar ao Mundo. Talvez eles sejam parentes de algum diretor da FIFA! Temos grandes nomes que com certeza fariam estremecer as arquibancadas da arena Coríntias, como Paulo Barros, e outros grandes campeões acostumados com o maior espetáculo da TERRA, que com certeza absoluta fariam inesquecíveis esta abertura da Copa do Mundo,transformando as 61000 pessoas presentes no Estádio mais as milhões de pessoas pelo mundo afora se tornassem multiplicadoras das maravilhas de conhecer o Brasil. Ali faltou adereços faltou de tudo; acredito que Paulo Barros traria pelo menos cinco escolas de Samba, misturando com a maior apresentação folclórica das Américas em Parintins, “Caprichoso” e “Garantido” mais “OLODUM” alem de outras manifestações Culturais. A reprovação não foi só no Brasil foi mundial O diário espanhol Marca também reprovou o espetáculo dirigido pela belga Daphné Cornez. “Discreta, talvez a mais curta (abertura) de todas as Copas”. O italiano La Gazzetta Dello Sport reservou novos elogios às cantoras, mas ironizou: “Amazônia, dura apenas 25 minutos”. Nas redes sociais, muitos brasileiros também reclamaram das coreografias, consideradas semelhantes às realizadas em festas de colégio. A imprensa estrangeira. Diários esportivos de Argentina, Itália e Espanha condenaram a curta duração do espetáculo e a pouca empolgação do público – que não lotou as arquibancadas. A cantora Claudia Leite, no entanto, escapou das críticas. “Salvou a festa de um papelão”, escreveu em sua versão digital o diário argentino Olé. “Mal deu tempo de ver na TV o chute do exoesqueleto do Nicolelis, em que um paraplégico deu um chute na bola oficial da Copa do Mundo”. Escreveu uma internauta. A imprensa brasileira o Itamarati, os políticos as autoridades competentes deveriam fazer uma nota de repudio e de cobrança a Dona FIFA, pelo descalabro de transmitir uma péssima imagem de incompetência de um pais que é a quarta economia do mundo, e com isto perder a oportunidade de beneficiar seu povo de possíveis investimentos para a melhoria de suas atividades. São por essas e outras que o Brasil é Um País rico de um povo Pobre.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *