Crise Nacional de segurança pública mostra sua força mesmo no interior do MT.

Home » News » Política » Escândalos » Crise Nacional de segurança pública mostra sua força mesmo no interior do MT.

By nesqueci on 27 de janeiro de 2011. No Comments

Coronel Valdivino, comandante da PM no Sul do Estado: “um dos policiais já estava sendo investigado”

A crise no setor de segurança pública do Brasil não para de surpreender.
Dessa vez com jovens policiais da pequena cidade de Rondonópolis no interior do MT.
Segue matéria de Jornal local logo abaixo.

PMs acusados de assalto são levados para presídio militar de Leverger

Os soldados PM Genival Ferreira de Souza, de 29 anos de idade e Ricardo Duarte Neves, de 33, foram transferidos para o presídio militar de Santo Antônio do Leverger, na tarde de ontem (24). Eles são acusados de participação no grupo armado que era formado por três policiais militares e um trabalhador com ampla experiência em instalação de alarmes e monitoramento de segurança eletrônica, que invadiu, na madrugada de domingo (23), por volta da 4 horas, a Distribuidora de Bebidas Coca-Cola, no Distrito Industrial de Rondonópolis. O PM Julierme Franklin Anacleto, 28 anos, após o assalto, foi encontrado morto em outro ponto da cidade, com um tiro na nuca. As autoridades suspeitam que o policial foi executado pelos seus comparsas como queima de arquivo. Todos os militares envolvidos tinham sete anos de carreira na Polícia Militar.

Segundo informações constantes no Boletim de Ocorrência, para entrar na empresa, eles cortaram a consertina [estrutura de aço com pontas afiadas instalada em muro]. No momento da invasão, um dos vigias da empresa, que saiu para tomar um refrigerante no refeitório, percebeu a invasão por três homens encapuzados. Logo, pediu socorro para outro segurança. No local houve troca de tiros e um dos assaltantes foi baleado na altura do ombro direito. Dois deles conseguiram fugir da ação dos vigias da empresa, sendo um ferido. Após a troca de tiros, os funcionários da empresa acionaram o telefone de emergência 190, da PM. Um terceiro suspeito, o policial militar Genival Ferreira não conseguiu fugir e uma guarnição da PM que estava de trabalho o prendeu quando estava escondido no mato.
Na mesma noite do crime, o soldado Julierme Franklin foi encontrado morto com um tiro na nuca, em uma rua no Jardim Luz da Yara, sobre a ponte do Córrego Canivete, no outro lado da cidade. A polícia levanta a hipótese de que o soldado foi assassinado pelos próprios membros da quadrilha que tentou assaltar a distribuidora de bebidas.
De acordo com o BO, o PM Genival Ferreira, suspeito de participação na tentativa de assalto, confessou aos PMs de plantão que estava acompanhado de mais dois policiais e um homem identificado apenas como Silva, em uma caminhonete Ranger, de cor escura, encontrada horas depois do episódio em uma praça no bairro Santa Cruz. O suspeito Silva foi encaminhado também na tarde de ontem para a Cadeia Pública, no anexo da Mata Grande.

SE ENTREGOU

O PM Ricardo Duarte Neves se apresentou na manhã de ontem (24) no Centro Integrado de Segurança e Cidadania (Cisc) BPM, major Odair Pereira Moura, repassou à imprensa que durante o interrogatório o soldado permaneceu calado. Duarte disse que só vai se manifestar em juízo.
Na data do crime, pelo que se apurou, o soldado Franklin, que deveria estar de serviço, alegou ter um compromisso particular e trocou a escala com outro PM. Duarte estava de atestado médico, deveria retornar às atividades no próximo dia 28 e o soldado PM Ferreira estava de folga.
Há informações de que uma quinta pessoa foi autuada pela polícia, mas responde em liberdade. Ela registrou um boletim de ocorrência alegando o roubo de seu veículo Ranger, usado para fuga na tentativa de assalto.

Comandante suspeita da participação do grupo em outros crimes

O comandante Regional Sul de Policiamento Militar, coronel Valdevino Tavares Pimentel, disse à reportagem do A TRIBUNA que será aberto um procedimento administrativo dentro da corporação para apurar o caso. “Suspeitamos que este grupo de policiais esteja envolvido em outros roubos e furtos na cidade. Também levantamos a hipótese de que eles tenham favorecido com informações outras pessoas que praticaram crimes pela cidade. Um deles já estava sendo investigado há 30 dias”, diz o coronel. Além do procedimento administrativo, o caso será investigado pela Polícia Civil.
Para o coronel Valdevino, o envolvimento dos policiais na tentativa de assalto causou indignação. “Porém, o comando está satisfeito pela ação rápida da própria polícia e a resposta imediata à população diante do caso”, repassou.
No período da manhã, durante uma coletiva de imprensa, o coronel disse, inclusive, que são grandes as possibilidades do grupo estar envolvido nos constantes roubos a caixas eletrônicos registrados no município nos últimos meses.

COMANDANTE GERAL
O comandante geral da PM, coronel Osmar Lino Farias, afirmou que, mediante a situação, os dois policiais serão submetidos ao procedimento demissório. “Eles já estão presos e deverão responder ao Conselho de Disciplina, que julgará o processo demissório de ambos. A Polícia Militar não vai permitir que marginais como eles continuem manchando a integridade da instituição”, afirmou Farias.

http://www.atribunamt.com.br/2011/01/pms-acusados-de-assalto-sao-levados-para-presidio-militar-de-leverger/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *