Centro Universitário Barão de Mauá, em decisão polêmica, pune agressora e agredida.

Home » Atualidades » Cotidiano » Centro Universitário Barão de Mauá, em decisão polêmica, pune agressora e agredida.

By nesqueci on 5 de Maio de 2011. No Comments

A estudante de enfermagem Ana Cláudia Karen Lauer mostra raio-X .

O Centro Universitário Barão de Mauá, de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo), decidiu nesta quinta-feira expulsar as duas alunas de enfermagem envolvidas em agressão ocorrida no último dia 1º de abril.

Pela decisão da instituição de ensino, tanto a suposta agressora quanto a vítima não poderão mais estudar na Barão de Mauá.

Segundo a assessoria de imprensa do centro universitário, a decisão atingiu as duas alunas porque houve quebra do regimento interno, que prevê desligamento por “casos disciplinares graves”.

O caso de agressão ocorreu no início do mês passado. À polícia e em entrevistas anteriores à Folha, a universitária Ana Cláudia Karen Lauer, 20, disse que foi agredida depois de ter denunciado à coordenação do curso que sofria bullying.

Nesta quinta-feira, o centro universitário não informou oficialmente os nomes das envolvidas. Diferentemente de Ana Cláudia, a suposta agressora não falou publicamente sobre o assunto. A Folha não conseguiu localizá-la hoje.

A família de Ana Cláudia também não quis falar sobre a decisão e preferiu que a advogada que a representa se pronunciasse.

A defensora Ana Letícia Rodrigues da Cunha e Martins disse que a expulsão de sua cliente é injusta. “Há possibilidade de recurso administrativo e a gente vai exercer esse direito”, disse.

A assessoria da Barão de Mauá informou hoje que não poderia usar o termo “expulsão” sobre a decisão tomada pela reitoria. Afirmou que, como a instituição dá para as alunas a possibilidade de transferência, o caso é de “desligamento”.

No entanto, para a advogada de Ana Cláudia, trata-se, sim, de expulsão. “Na prática, é uma expulsão compulsória”, disse.

Segundo a advogada, a estudante vítima das agressões segue em tratamento psicológico e psiquiátrico por causa do fato. O caso também está sendo apurado pela Polícia Civil.

FOnte:UOL


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *