Guilherme Karan sofre com doença degenerativa Machado-Joseph.

Arquivado em: Saúde,TV |

O ator Guilherme Karan tem passado por maus momentosem sua vida pessoal.

Guilherme Karan

Seu pai Alfredo deu entrevista a coluna “Retratos da Vida”, do jornal “Extra” desta quarta-feira (18) e deu mais detalhes.
Guilherme sofre de uma doença degenerativa, uma síndrome neurológica chamada Machado-Joseph, que compromete a capacidade motora do paciente. “Ele herdou da mãe. Perdi um filho com a mesma doença. Guilherme fica na cadeira de rodas o tempo todo. Tem horas que ele está lúcido e tem horas que não”, revelou Alfredo.

O ator fez sua ultima participação na telinha em 2005, quando integrou o elenco da novela “América”, da Globo. Atualmente, ele vive sob os cuidados de dois enfermeiros, e recebe, durante três vezes na semana, a visita de um fisioterapeuta.

Ainda em entrevista ao jornal, o pai afirmou que Guilherme vive deprimido e por isso não quer receber visitas. Ele inclusive teria pedido à amiga e autora Glória Perez que não o visitasse mais.

“Ele não quer falar com ninguém. Está deprimido. E é um ponto de vista que temos que respeitar. Eu, como pai, compreendo e dou toda a assistência que posso”, disse Alfredo.

Em relação à doença, a família está otimista: “Quem sabe não descobrem um antídoto para que ele possa voltar ao que era antes”.

A doença

A doença de Machado-Joseph (DMJ) é hereditária e produz incapacidade motora. A incidência média é de três casos por 100 mil habitantes, mas nas Flores, Açores, há um por 140. A equipa descobriu que os doentes apresentam uma diminuição nos níveis da proteína beclina-1, vital para o mecanismo de limpeza da acumulação de proteínas e outras estruturas ao nível das células – o que é ainda mais debilitante no caso nos neurónios, por não passarem pelo processo de divisão. No caso dos doentes com DMJ, há acumulação de uma proteína específica, a ataxina-3, produzida em excesso e que acaba por lesar o cérebro.

Guilheme Karan

Charles André, neurologista integrante da Câmera Técnica de Neurologia e do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), disse ao jornal “Extra” que a doença Machado-Joseph, que deixou Guilherme Karan numa cadeira de rodas, não tem cura.

A doença é hereditária e provoca uma lesão na região do cerebelo e assim ficam comprometidas a coordenação motora, a fala, a deglutição e até mesmo o movimento dos olhos.

“Ela começa na juventude ou na vida adulta e é progressiva. Não existe cura ainda. Há tratamentos de reabilitação baseados nos problemas que forem surgindo”, disse Charles André.

Ele ainda afirmou que a doença não é diretamente mortal: “Pode, por exemplo, comprometer o equilíbrio e a pessoa cair e machucar-se muito”, disse.

Fontes: Terra Saude , Natelinha e IONLINE

Comments

comments

Link encurtado:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

site stats