A exatos 17 anos morria Kurt Cobain. Pra quem não viveu a decada de 90 tem um resumo aqui.

Home » Atualidades » Música » A exatos 17 anos morria Kurt Cobain. Pra quem não viveu a decada de 90 tem um resumo aqui.

By nesqueci on 5 de abril de 2011. No Comments

Kurt Donald Cobain (Aberdeen, 20 de Fevereiro de 1967 — Seattle, 5 de Abril de 1994) foi um cantor, compositor e músico estadunidense, mais conhecido como o vocalista e guitarrista da banda de rock Nirvana.

Com o single “Smells Like Teen Spirit” do segundo álbum do Nirvana, “Nevermind” (1991), o Nirvana encontrou o sucesso, popularizando um subgênero do rock alternativo chamado grunge. Outras bandas grunge de Seattle, como Alice in Chains, Pearl Jam e Soundgarden ganharam também um vasto público e, como resultado, rock alternativo tornou-se um gênero dominante no rádio e na televisão nos Estados Unidos do início à metade da década de 1990. O Nirvana foi considerada a banda “carro-chefe da Geração X”, e seu vocalista, Kurt Cobain, viu-se com ungido pela mídia como porta-voz da geração, mesmo contra sua vontade.[1] Cobain estava desconfortável com a atenção que recebeu, e colocou seu foco na música da banda, acreditando que a mensagem da banda e sua visão artística tinham sido má interpretadas pelo público, desafiando a audiência da banda com o seu terceiro álbum In Utero (1993).

Durante os últimos anos de sua vida, Cobain lutou contra o vício em heroína, doenças, depressão, fama e imagem pública, bem como as pressões ao longo da vida profissional e pessoal em torno a si mesmo e de sua esposa, a cantora Courtney Love. Em 8 de abril de 1994, Cobain foi encontrado morto em sua casa em Seattle, vítima do que foi oficialmente considerado um suicídio por um tiro de .

Nirvana

Quando ganhou sua primeira guitarra elétrica no seu décimo quarto aniversário, depois de escolher entre esta e uma bicicleta, Kurt logo começou a aprender algumas músicas e tocava alguns covers, como Back in Black do AC/DC. Sem demora, começou a trabalhar em suas próprias canções.Durante o Ensino Médio, quando Kurt aprimorava seu dom de guitarrista, nunca encontrou ninguém para tocar de modo espontâneo e divertido, até que conheceu Krist Novoselic. A mãe de Krist era dona de um salão de beleza e os dois começaram a ensaiar eventualmente na sala que ficava no último andar do prédio. Nessa época, Kurt deu a Novoselic uma fita demo de sua banda ou projeto pessoal, Fecal Matter. Depois de alguns meses de indecisão, Krist finalmente ouviu a fita e gostou. Acabou por concordar em formar uma banda juntamente com seu mais novo amigo, que mais tarde resultaria no Nirvana.

O começo da carreira deixou Cobain desencantado, devido à banda ser incapaz de atrair multidões consideráveis e pela dificuldade de se sustentar. Durante seus primeiros anos tocando juntos, Novoselic e Cobain foram anfitriões de uma lista rotativa de bateristas. Eventualmente, a banda ficou com Chad Channing, com o qual o Nirvana gravou o álbum Bleach, lançado pela Sub Pop Records, em 1989. Cobain, porém, ficou insatisfeito com o estilo de Channing, levando a banda a procurar um substituto e, eventualmente, encontrando Dave Grohl. Com Grohl, a banda encontrou seu maior sucesso através de sua estreia com o grande álbum de 1991, Nevermind.

Cobain lutou para conciliar o enorme sucesso do Nirvana com suas raízes na música underground. Ele também se sentia perseguido pela mídia, comparando-se a Frances Farmer. Depois, ele criou um certo ressentimento com pessoas que afirmavam serem fãs da banda, mas que não reconheciam ou entendiam as visões sociaias e políticas da banda. Um oponente vocal do sexismo, do racismo e da homofobia, Cobain ficou publicamente orgulhoso com a apresentação do Nirvana em um evento de apoio aos direitos dos homossexuais chamado No-on-Nine no Oregon em 1992, em oposição ao Ballot Measure Nine, que proibia as escolas do estado estadunidense de reconhecer ou aceitar positivamente os direitos LGBT.

Cobain foi um suporte vocal do movimento pró-escolha, e envolveu-se, desde o início, na campanha Rock for Choice pela L7. Ele recebeu ameaças de morte de um pequeno número de ativistas antiaborto, com um ativista ameaçando que Kurt seria baleado logo que pisasse no palco. O encarte Incesticide declarou que “if any of you in any way hate homosexuals, people of different color, or women, please do this one favor for us-leave us the fuck alone! Don’t come to our shows and don’t buy our records”. Um artigo de seus Journals lançado postumamente declara que a libertação social, poderá ser possível apenas por meio da erradicação do sexismo.





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *